segunda-feira, 20 de outubro de 2014

A Princesa de Gelo, de Camilla Läckberg

Sinopse do site Wook:
Quando regressa à sua cidade Natal, Erica Falk encontra uma comunidade envolvida em tragédia. A morte da sua amiga de infância, Alex é só o princípio do que está para vir. Tudo leva a crer que Alex se suicidou, mas quando começa a escrever uma evocação para ler no funeral da amiga, Erica vê-se de repente no centro dos acontecimentos. 
Conhece Patrik Edstrom, que investiga o caso e os dois acabam por formar uma equipa para resolver o enigma da morte de Alex e trazer ao de cima a verdade de um passado perturbador.

Não sei se é por já ter lido muitos (demasiados!) livros policiais, acabei por desvendar parte do "passado perturbador" da vítima, Alexandra.
Há muito tempo que andava para ler qualquer coisa desta autora sueca, Camilla Läckberg, mas nunca tinha surgido a oportunidade, até há semana passada.

(verdade seja dita: o facto de na capa estar escrito "A nova Agatha Christie (...) pesou na minha decisão de comprar o livro!)

Li a edição de bolso, mais económica, mas lê-se bem, apesar de ser um livro grande. A história é envolvente e deixa-nos quase perturbados com algumas das revelações. É daqueles livros que queremos ler, ler, ler, ler... e quando termina ficamos com a sensação de "e agora?". Felizmente, que a autora optou por dar continuidade à história de Erica e de Patrick, e à da comunidade de Fjällbacka, e os livros seguintes continuam com estes que se tornam os nossos heróis. 

A literatura nórdica em grande. Não que me surpreenda depois de já ter livro a saga Millenium, de Stieg Larson, e ter conhecido Jo Nesbø. 

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Alabardas, de José Saramago

Sinopse Wook

Aquando do seu falecimento, em 2010, José Saramago deixou escritas trinta páginas daquele que seria o seu próximo romance; trinta páginas onde estava já esboçado o fio argumental, perfilados os dois protagonistas e, sobretudo, colocadas as perguntas que interessavam à sua permanente e comprometida vocação de agitar consciências.

Saramago escreve a história de Artur Paz Semedo, um homem fascinado por peças de artilharia, empregado numa fábrica de armamento, que leva a cabo uma investigação na sua própria empresa, incitado pela ex-mulher, uma mulher com carácter, pacifista e inteligente. A evolução do pensamento do protagonista permite-nos refletir sobre o lado mais sujo da política internacional, um mundo de interesses ocultos que subjaz à maior parte dos conflitos bélicos do século xx.

Dois outros textos – de Fernando Gómez Aguilera e Roberto Saviano – situam e comentam as últimas palavras do Prémio Nobel português, cuja força as ilustrações de um outro Nobel, Günter Grass, sublinham.

(pré-lançamento Wook, com envios a partir de 23 de Setembro)

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Novidade: Editora Clube do Autor com novos livros juvenis

A partir do final deste mês chega às livrarias o segundo volume da colecção Os Descendentes de Merlin, de Rita Vilela, autora que se prepara para apresentar A Dama do Lago na Feira do Livro de Toronto, no Canadá. Depois de Os Guardiães dos Manuscritos Mágicos, no novo livro os leitores acompanham a história de Guinevere, uma mulher de coragem e de palavra que se casou com Artur e se tornou rainha de Camelot, cumprindo assim o juramento que o grande mago Merlin a forçara a fazer. O Palácio Nacional de Mafra, o Convento de Tomar, a Biblioteca da Ajuda, Paris e a sua emblemática Torre Eiffel são alguns dos cenários da nova aventura de Rita Vilela, uma das escritoras portuguesas mais profícuas na área infanto-juvenil e autora de vários livros recomendados pelo Plano Nacional de Leitura.

Já em Setembro fica disponível mais uma aventura da famosa família Macedo, criada por Odette de Saint-Maurice.
As Meninas do Andar de Cima, sétimo livro da colecção recuperada pelo Clube do Autor, centra-se nas peripécias da família que vive no andar por cima do da família Macedo. No andar de cima, vivem o casal Abegorim e as quatro filhas: Lili, a mais velha, de 24 anos, a altiva; Mirita, a inquieta; Rita, a rebelde, e Rosarinho, a meiga. A agitação e as peripécias das meninas do 4.º andar traduzem a atmosfera de raparigas com problemas e personalidades distintos mas cujas experiências
e descobertas se mantêm surpreendentemente actuais.



segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Leituras de Verão: O Enigma da Esfinge e Morte no Bosque

Sim, mea culpa... este blogue está quase como que parado no tempo. Praticamente, não tenho lido... aliás, tenho lido, sim, mas a história do Pinóquio, umas quantas vezes por noite, para que o meu rebentinho acalme.

Mas, nestes dias de férias, em que o tempo para mim e para os meus acresce um pouco, terminei um livro que me acompanhava há uma série de semanas, "O Enigma da Esfinge", de Charlie Fletcher, e li, de um fôlego "Morte no Bosque" de Harlan Coben.

Há uns largos meses, a Editorial Presença promoveu a grande aventura literária... e, nesse desafio, ganhei 3 livros. Este dois estavam ali encostados à espera de melhores dias.

(retirei as sinopses dos sites da Presença e Wook, respectivamente)

O Enigma da Esfinge, de Charlie Fletcher
Quando George quebrou a cabeça da estátua do dragão no Museu de História Natural de Londres estava a anos-luz de poder imaginar que esse acto impensado viria a ter consequências verdadeiramente catastróficas para a sua vida e para a própria cidade. Uma força poderosíssima, adormecida desde tempos imemoriais nas profundezas da capital, aguardava pela oportunidade de voltar à vida, e agora esse momento tinha finalmente chegado. O caos da devastação ameaça instalar-se, e para repor a normalidade George terá de empenhar toda a sua coragem e contar com a preciosa ajuda de Edie e de um soldado da Primeira Guerra Mundial, eles próprios também estátuas. Uma aventura épica de cortar a respiração, que nos dá a conhecer uma outra Londres, absolutamente fascinante, e que promete continuar em futuros volumes.

Comentário:
Achei este livro um pouquinho infantil, e com um final mal amanhado... só depois percebi que era o primeiro volume de uma aventura que envolvia George, o personagem principal. A classificação de "Romance Fantástico" também deixa um pouco a desejar; devia estar categorizado como "Juvenil"... menos pessoas iriam ao engano, como foi o meu caso. Ainda assim, se tiverem filhos, sobrinhos, afilhados que gostem de um pouco de envolvimento, esta é uma boa prenda... e, informação adicional: o segundo volume chama-se "O Espelho Negro". 

Morte no Bosque, de Harlan Coben
Desde a noite de Verão em que quatro jovens, por quem era responsável, desapareceram misteriosamente no bosque do acampamento que a vida de Paul Copeland, delegado do Ministério Público do condado de Essex, na Nova Jérsia, nunca mais foi a mesma. Na manhã seguinte, dois dos jovens foram encontrados já sem vida mas os outros dois, a sua irmã Camille e Gil Perez, não voltaram a ser vistos. Passados vinte anos, encontram o corpo do recém assassinado Gil Perez e a esperança de Paul conseguir desvendar o mistério daquela fatídica noite e reencontrar a irmã renasce. Os inimigos de Paul na barra do tribunal parecem decididos a desenterrar todos os seus segredos do passado, tornando-se uma preciosa ajuda para a revelação do perverso mistério…
Comentário:
Este sim, preencheu-me as medidas. A história é contada na primeira pessoa, Paul Copeland, e de quando em quando temos janelas para outras personagens. Foi um livro que "despachei", talvez, em 24 horas. Lê-se muito bem, e ficamos realmente empolgados em passar cada capítulo.
Houve alturas em que decifrei, quase de imediato, algumas situações que só mais à frente seriam explicadas... mas deve ser porque leio muitos livros do género policial. 
Harlan Coben escreve bem, e fiquei curiosa em conhecer mais sobre este autor. 

segunda-feira, 7 de julho de 2014

Sonho Febril, George R. R. Martin

Vampiros, before it was cool!
(livro de 1982, um dos primeiros do autor de As Crónicas de Gelo e Fogo)

Rio Mississipi, 1857. Abner Marsh, capitão de barcos a vapor, depois de ter perdido a sua frota, é interpelado por um misterioso homem, Joshua York. A proposta: construir o barco dos seus sonhos, sem limites de despesas, e percorrer o rio em direcção a Nova Orleães, com a única condição de, em ocasião alguma, fazer perguntas sobre o próprio Joshua, os seus hábitos, os seus companheiros de viagem, as suas motivações, as suas acções...

Assim, nasceu o Fevre Dream: o maior e mais maravilhoso barco a vapor. Noventa metros de luxo, beleza, e velocidade. Enquanto que Abner, um verdadeiro homem do rio, pretende construir reputação com o seu Fevre Dream, participar em corridas com outros barcos (e vencê-los!), o enigmático e cavalheiresco Joshua tem outras ideias em mente.

Joshua é um homem estranho. Só sai à noite, e nunca é visto durante... tal como os seus companheiros. E, à medida que vão somando milhas até Nova Orleães, o peso do mistério torna-se quase insuportável para Abner.

Ao mesmo tempo que acompanhamos esta narrativa, somos introduzidos no mundo de Damon Julian, e da sua corte de sangue. Damon é altivo, quase majestoso, e suga o sangue de escravos, comprados pelo seu criado Sour Billy. As histórias do desaparecimento de vários negros na plantação do velho Garoux correm mais rápido do que o vento entre eles. Sabemos que são vampiros, numa época em que os mitos eram poderosos.

Mais tarde, e confirmando as suspeitas de Abner, Joshua conta a verdade: também ele é um vampiro, que pretende abolir os mitos sobre as "pessoas da noite", e tornar possível a vivência entre as duas raças.

Até que o caminho entre os dois vampiros se cruza.

Quem vencerá? Damon, o altivo, ou Joshua, o bom?

Sonho Febril é uma história de barcos a vapor, no Mississipi, no século XIX, que encontra uma história de vampiros.
Abner Marsh é um personagem fascinante: descrito como sendo dos homens mais feios do Mississipi, com 150kg, muitas verrugas, e bruto, é um anti-herói que adoramos e o seu Fevre Dream é o seu sonho tornado real.
Temos Joshua York que, inevitavelmente, imaginamos como um cavalheiro britânico, de cabelo branco e sempre vestido de branco (o lado bom? Pensaste nisso, GRRM?), e um Damon Julian de cabelos negros (Damon = demon? / cabelos negros = o mal?), e várias outras personagens que cabem bem em qualquer bom livro de barcos a vapor.

segunda-feira, 16 de junho de 2014

Novidade Editora Casa das Letras (Grupo Leya)

A Maçonaria e a participação de Portugal na 1.ª Guerra Mundial, de Pedro Brandão  e António Chaves Fidalgo

 No ano em que se comemora o centenário do início da Primeira Guerra Mundial, expomos uma reflexão sobre um conflito que contou com a participação dos portugueses e mudou para sempre a vida da humanidade.

Desapareceram impérios, redefiniram-se fronteiras, a ciência e a tecnologia foram colocadas de forma sistematizada ao serviço da capacidade destruidora dos instrumentos de guerra e várias nações, líderes do desenvolvimento industrial e cultural do mundo.

Entre Julho de 1914 e Novembro de 1918, os portugueses participaram em três frentes de combate: Angola, Moçambique e Flandres. Portugal tinha recentemente implantado a república e a vida social, económica e política do país evidenciava uma forte e natural instabilidade que foi acelerada pela cisão do velho Partido Republicano Português e pelas diferentes tentativas de restauração da monarquia.

Por detrás desta nossa participação encontram-se algumas relações causais entre a maçonaria e as decisões de diferentes governos republicanos que originaram o envolvimento de Portugal na Grande Guerra.

Os autores:
Pedro Ramos Brandão nasceu em Coimbra, a 28 de fevereiro de 1965. Licenciado em História e em Engenharia Multimédia, mestre em História Institucional e Política Contemporânea, doutorado em História Política Contemporânea e a terminar o dout
oramento em Ciências e Tecnologias de Informação, no ISCTE, é docente do Ensino Secundário e do Ensino Superior e presidente do Conselho Técnico-Científico do ISTEC.É igualmente autor dos livros Salazar – Cerejeira a «Força» da Igreja, A Igreja Católica e o Estado Novo em Moçambique, A Maçonaria e a Implantação da República em Portugal e Salazar e a Conspiração do Opus Dei.

António Chaves Fidalgo nasceu em Montalegre, a 13 de setembro de 1965. Licenciado em Segurança Social e pós-graduado em Economia e Política Social, é professor do Ensino Superior desde 1988, e, atualmente, secretário-geral do ISTEC. Coordenou trabalhos de investigação social aplicada para diversas instituições, nomeadamente, para o Ministério do Trabalho e da Segurança Social, Ministério da Saúde e Montepio Geral.
Foi responsável por vários artigos e cursos de formação na área do Republicanismo e da Maçonaria e é, também, coautor do livro A Maçonaria e a Implantação da República em Portugal, publicado pela Casa das Letras.

Eventos da Sociedade Portuguesa de Autores

AMANHÃ, dia 17 de Junho:
Decorre a 6.ª sessão do ciclo "Casino das Letras", com a escritora Hélia Correia, pelas 21h30 no Casino da Figueira da Foz.
A sessão será orientada pela Dra. Teresa Carvalho, da Universidade de Coimbra.

Também, AMANHÃ
Lançamento dos livros "Adágio, Romanza e Grave" e "As Flores Brancas de Frangipani" do escritor Américo Brás Carlos, às 18h30, na Sala - Galeria Carlos Paredes, na Rua Gonçalves Crespo, 62, Lisboa.
A apresentação dos livros será feita pelo Dr. José Jorge Letria e pela Prof.ª Doutora Ana Luísa Vilela.

4.ª feira, dia 18 de Junho:
A Sociedade Portuguesa de Autores e a Associação dos Antigos Estudantes de Coimbra em Lisboa organizam, em conjunto, a Tertúlia "Jorge Amado, um romancista comprometido com o povo, o Brasil, o futuro", pelas 18h00, no Auditório Maestro Frederico de Freitas. 



5.ª feira, dia 19 de Junho:
A Sociedade Portuguesa de Autores vai realizar um workshop sobre o tema "Cultura e Economia: para que serve o Direito de Autor?" com o apoio da OMPI (Organização Mundial da Propriedade Intelectual), pelas 14h30, no Auditório do Museu Nacional de Soares dos Reis, no Porto. 



sexta-feira, 13 de junho de 2014

A Dança dos Dragões

Estou contente. Posso dizer uma coisa sobre este volume, sem estragar a série. Posso dizer que é em A Dança dos Dragões que Ramsay Bolton (ex-Snow, depois do reconhecimento oficial de Roose Bolton) instruiu Reek (Fedor, na série, e Cheirete, nos livros... ou um Theon Greyjoy amestrado) a tomar Fosso Cailin para os Bolton.

Sim, a cena em que Reek volta a ser Theon, e ordena aos poucos homens de ferro que sobram em Fosso Cailin para abrirem os portões da fortaleza aos homens de Bolton, e um deles leva uma machadada na cabeça...

Posto isto, só me falta o 10.º livro - Os Reinos do Caos - para terminar os livros já editados de As Crónicas de Gelo e Fogo.

(mas, esta minha ânsia de terminar vai ter de tomar um duche gelado e acalmar. O meu "dealer" (um dos meus primos) ainda não me emprestou este último, por isso, vou dedicar-me a outra coisa qualquer. Tenho aqui na estante "Um Sonho Febril" - também de George R. R. Martin - e será, certamente, o senhor que se segue)

Facto interessante sobre As Crónicas:
Andava um pouco desorientada, porque via que, em Portugal, eram 10 os livros editados, mas quando se falava em George R. R. Martin e os livros, na versão original, eram referidos apenas 5 títulos.

O que se passava afinal? A minha capacidade de fazer somas 1 + 1 = 2 estava a falhar?

Não. O que se passa é que no nosso rectângulo à beira-mar plantado, a editora Saída de Emergência dividiu cada livro em dois.

Assim, as "somas" são estas:
- A Guerra dos Tronos + A Muralha de Gelo = A Game of Thrones
- A Fúria dos Reis + O Despertar da Magia = A Clash of Kigs
- A Tormenta das Espadas + A Glória dos Traidores = A Storm of Swords
- O Festim dos Corvos + O Mar de Ferro = A Feast for Crows
- A Dança dos Dragões + Os Reinos do Caos = A Dance with Dragons

E já só faltam 2 livros para GRRM terminar. O plano inicial era uma trilogia, o autor, a meio, decidiu estender até aos 7 livros... e já vamos em 5. Let's wait and see, my sweet Summer childs!

sexta-feira, 23 de maio de 2014

O Festim dos Corvos

Imagem retirada de Fnac.pt
Como falar de um livro, sem estragar o que se vai passar na série? Já sei que as coisas não se passam tal e qual como nos livros (é essa a ideia de "adaptação"), mas a essência é a mesma. E feitas as contas, o resultado acaba sempre por ser o mesmo.

Essencialmente, não posso revelar nada sobre a personagem A, B ou C, caso contrário os meus espertos seguidores perceberão que algo de muito bom ou muito mau vai acontecer aos restantes.

É horrível escrever uma crónica de leitura de um livro sem puder falar sobre o mesmo.

O que posso dizer, então?

Posso dizer que neste O Festim dos Corvos, George R. R. Martin (GRRM) preferiu dar destaque a personagens femininas.
Depois do episódio em que Cersei, alegadamente, é violada pelo irmão Jaime (no livro não é. A Rainha, realmente, faz-se de difícil no início, mas depois deixa-se levar pelo fogo do amorrreee), li muitas críticas onde se dizia que o autor devia ter qualquer coisa contra as mulheres do deste universo. Com este livro, temos mulheres fortes e decididas, mulheres que fazem a diferença...

E, na generalidade, o ritmo d' O Festim é mais lento.

Pelo que percebi de leituras em outros blogues, O Festim dos Corvos, inicialmente, era um volume gigantesco - perto de 1600 páginas, ou algo que o valha - e o nosso bom amigo GRRM dividiu-o em dois, razão pela qual isto já vai em 10 livros.

E agora... já estou no livro 8: O Mar de Ferro. Como já perceberam por este texto, não vou puder desvendar nada dos acontecimentos dos livros, até porque a série já foi renovada para uma 5.ª temporada, e eu seria uma mulher morta se dissesse mais do que devia - tanto que nem sequer aqui escrevi a sinopse da contra-capa. Quem é amiga, quem é?

sábado, 17 de maio de 2014

A Glória dos Traidores

Imagem retirada daqui
Diz a contracapa: 

O bafo cruel e impiedoso do Inverno já se sente. Quando Jon Snow consegue regressar à Muralha, perseguido pelos antigos companheiros do Povo Livre, não sabe o que irá encontrar nem como será recebido pelos seus irmãos da Patrulha da Noite. Só tem uma certeza: há coisas bem piores do que a hoste de selvagens a aproximarem-se pela floresta assombrada.

O Jovem Lobo também está em viagem, na companhia da mão e do tio, numa tentativa de reconquistar duas coisas fundamentais para os Stark: a aliança da Casa Frey e o Norte. A primeira parece bem encaminhada, mas é sabido como o velho Walder Frey é traiçoeiro. Quanto à segunda, é uma incógnita, pois a tarefa que lhe cabe é quase impossível: conquistar Fosso Cailin a partir do sul.

Em Porto Real, há dois casamentos em perspectiva, qual deles o mais importante para o destino dos Sete Reinos. Mas quem sabe o que os caprichos do destino têm reservado para os noivos? Jaime Lannister, agora mutilado, regressa para junto dos seus sem saber o que o aguarda. E do outro lado do mar, o poder dos dragões renasce, com Daenerys à cabeça de uma hoste de eunucos treinados para a guerra e finalmente rodeada de amigos. Mas serão esses amigos... dignos de confiança?


Não posso falar muito deste livro, já que adiantar pormenores seria estragar a série. O que sabemos portanto?
* Há o Red Wedding, onde Robb Stark, a mãe e uma grande parte dos nortenhos são mortos por ordem de Walder Frey e Roose Bolton (ainda na terceira temporada, como bem se recordam!);

* Temos o Purple Wedding, com a morte de Joffrey;

* Temos o julgamento de Tyrion Lannister, por suspeita do assassinato do Rei;

* Temos Sansa Stark no Ninho da Águia;

* Temos Jon Snow de volta à Muralha;

* Temos Arya com o Cão de Caça;

* Temos Dany em Mereen, e a sua decisão de governar a cidade e assim "treinar" a arte de ser Rainha.

E mais não digo. Apesar da série ser uma adaptação aos livros, e certos capítulos não decorrerem exactamente como nos livros, estou curiosa para ver. Muitas surpresas - ao bom estilo de George R.R. Martin - vos esperam, senhores seguidores da série. 

A partir de agora, não posso fazer resumos do que li. Mordo a língua cada vez que tenho o impulso de comentar com o meu excelso esposo algo que li. Sou, por natureza, uma spoiler... e tenho de me conter, ao máximo. Só faltam 4 (?) episódios para terminar a série, portanto terei de aguardar para ver até onde posso ir com os meus comentários.

terça-feira, 13 de maio de 2014

A Tormenta de Espadas - volume II de II

Acabadinho ontem à noite. Só me vem à mente uma coisa: os desgraçados dos Stark têm uma vidinha que, coitados... ninguém merece. Se há alguém que devia receber o Oscar de "os mais azarados da História da Literatura" eram eles!

A pobre Sansa - a eterna crente, a personificação da bondade, da ingenuidade e do comportamento de uma dama - é obrigada a casar com Tyrion.
Os Lannister, antevendo que os Tyrell iriam tentar alguma manobra com a mais velha dos Stark, antecipam-se e casam-na em velocidade cruzeiro com o Duende.

Arya que estava quase-quase-quase a chegar a Correrrio, pelas mão de Beric Dondarrion, é apanhada pelo Cão de Caça, após uma tentativa de fuga.
(pelo meio tem uma conversa muito interessante com o escudeiro de Beric Dondarrion sobre a mãe de Jon Snow - que, espero, muito sinceramente, que seja uma peça-chave na história. Tenho esse feeling desde o início: a mãe de Jon Snow deverá ser importante, já que se sabe tão pouco sobre ela, mas que, volta-e-meia, se fala na senhora.)
O Cão de Caça que, anteriormente, tinha tido um encontro imediato com Lorde Beric, que agora crê no Senhor da Luz, o mesmo Deus que Stannis Baratheon segue.

Robb continua a vencer batalhas, mas a verdadeira guerra está longe de ter terminado. De momento, está a caminho das Gémeas, a convite de Walder Frey. Após o rompimento da promessa de Robb desposar uma Frey, o velho Walder exige que Edmure Tully (tio do Rei do Norte, pela parte da mãe) case com uma das filhas, imediatamente. Este acede pelo bem da aliança e dirigem-se para lá.

Jon, entretanto, que ainda estava infiltrado no exército de Mance Rayder, e apaixonado pela selvagem Ygritte, conseguiu escapar. Mesmo no finalzinho de a Tormenta de Espadas, o bastardo de Ned Stark, ferido, tenta alcançar a Muralha e avisar os Irmãos do ataque iminente dos selvagens.

Bran continua a sua jornada em busca do corvo de 3 olhos para-lá-da-Muralha, com os irmãos Meera e Jojen, e Hodor. Esta caminhada faz-me lembrar a jornada do Frodo, em O Senhor dos Anéis (ó aqui para mim toda interessada e a fazer referências à cultura-pop!).

Adiante, em Porto Real começam os preparativos para mais um casamento: Joffrey e Margaery Tyrell... de referir, que após este casamento, Tywin Lannister também já planeou casar a filha, Cersei, com o herdeiro de Jardim de Cima (Willas Tyrell - que, na série, não existe. Na adaptação televisiva, o casamento previsto é entre Cersei e Loras Tyrell, o Cavaleiro das Flores, que nos livros se juntou à Guarda Real).
De Dorne, e para se juntar à festa, acaba de chegar o Prícipe Oberyn Martell... o 3.º filho da sua Casa, mas com uma enorme sede de justiça. Esta chegada é temida por Tyrion já que Martell é, em parte, responsável pelo facto de Willas Tyrell estar incapacitado, ao mesmo tempo que culpa os Lannister pela morte da sua irmã Elia (que estava casada com um Targaryen, e que terá sido assassinada pelo Montanha - que, como se sabe, está ao serviço dos Lannister).

Quem é que se queixa do número ridículo de personagens nesta saga? Se na série há gente para xuxu, experimentem ler os livros... ficam de boca à banda.

Mais?

Ahhhh, Dany Targaryen. A Princesa da Tormenta, a Khallesi, a Mãe dos Dragões (e blábláblá de títulos...) acabou de libertar mais uma cidade, com a ajuda dos seus Imaculados, e de um aliado-supresa, Daario Naharis. Depois de Astapor, foi a vez Yunkai, mais uma cidade esclavagista.

E acho que, de coisas importantes, ficamos por aqui.

sábado, 10 de maio de 2014

A Tormenta de Espadas - volume I de II

Uiiiiii que o Rei do Norte está feito! O tio Edmure contraria as suas ordens.
A mãe - após a "morte de Bran e Rickon - solta Jaime Lannister como forma de reaver as filhas que, supostamente, são reféns em Porto Real, e como resultado, Robb é abandonado por alguns dos seus aliados (por não ter "castigado" a mãe pela "traição"), como ainda quebra a promessa a Frey de casar com uma das suas filhas... e casa com uma jovem de baixa nobreza - Jeyne Westerling.

Jaime, sob a vigilância de Brienne de Tarth, é capturado por um grupo leal ao falecido Rei Robert. E as coisas também não ficam famosas para o Comandante da Guarda Real...

Após escapar de Harrenhal, Arya, e os amigos Gendry e Tarte Quente, vão parar a uma estranha pousada, onde encontram um antigo colaborador da Casa Stark. Arya julgava estar em segurança, mas é encaminhada até à presença de Beric Dondarrion (um ex-mandatário de Ned Stark). O que vai acontecer ainda não sei... apenas no 2.º volume é que lá chegarei.

Em Pedra do Dragão, Stannis também passa por maus momentos, após a derrota pesada na Batalha de Água Negra: os seus aliados ou morreram no combate ou passaram para o lado de Joffrey. E Davos, o Cavaleiro das Cebolas, o mais fiel amigo, é colocado na prisão por ter tentado matar Melisandre.

Em Porto Real, Tywin Lannister, na condição de Mão do Rei, começa a dança das cadeiras: Tyrion é o novo Mestre da Moeda e tem de desposar Sansa Stark, garantindo assim - de futuro - o Norte para a causa Lannister, a filha Cersei casa com um dos Tyrell, reforçando os laços das duas Casas, e Mindinho vai até ao Ninho da Águia para casar com Lysa Arryn e conquistar esta aliada, para garantir que não haverá complicações daquele lado.

Para-lá-da-Muralha, Jon continua a sua missão de infiltrado, junto dos selvagens de Mance Rayder, que seguem na direcção da Muralha. Chegados ao Punho, descobrem que os Patrulheiros que ali acampavam foram mortos. Um confronto com os Outros não acabou bem para os homens de negro. Sam, e mais alguns, conseguem fugir e o amigo de Jon consegue matar um com um punhal que o bastardo lhe havia oferecido antes.

Dany continua a tentar os seus navios; agora em Astapor, tenta conseguir soldados... no segundo volume, já sei o que acontece, mas não conto já (maldade!).

segunda-feira, 28 de abril de 2014

O Despertar da Magia - volume II de II

Neste volume, houve alguns grandes momentos.

Passemos ao 1.º:
A batalha em Porto Real. Stannis tenta chegar a Porto Real e reclamar o seu trono. Tyrion prevendo este ataque já havia traçado os seus planos, mas que não foram suficientes. Mas, no último instante, quando tudo parecia já ter sido perdido, Twin Lannister aparece e salva o dia, e assume o seu lugar de Mão do Rei, que estava "emprestado" a Tyrion por tempo indefinido.
Muitos "urras" aos heróis, e Tyrion (o verdadeiro e grande obreiro da defesa do rei), perdeu parte do rosto na batalha, é empurrado para um quartinho miserável, e esquecido.

2.º
Sansa vê-se preterida: os Tyrell, que após a morte de Renly, se juntaram-se aos Lannister, ofereceram a bela Margaery (anteriormente, noiva de Renly) para casar com Joffrey, e efectivar a aliança entre as duas famílias.
Mas, diz (o ex-Sor) Dontos a Sansa:
"A rainha nunca vos deixará partir, nunca (...). E Joffrey... querida, ele ainda é o rei. Se vos quiser na sua cama, ter-vos-á, só que agora serão bastardos que vos plantará no ventre e não filhos legítimos".

3.º
Winterfell caiu. Theon Greyjoy foi vencido por Ramsay Snow (bastardo da casa Bolton). Por aquilo que já se viu na série sobre este personagem, quer-me parecer que as maldades dele ainda agora começaram.
Os herdeiros de Robb - Bran e Rickon - são separados para que haja assim uma esperança para a Casa Stark. Bran segue caminho com os irmãos Jojen e Meera, e Hodor, enquanto que Osha leva Rickon para um lugar seguro.

4.º
Arya foge de Harrenhal. Afinal a ideia de "entregar" a fortaleza aos nortenho não foi assim tão boa ideia. A jovem Stark pega nos amigos e foge antes de começar a dar demasiado nas vistas, e que alguém a reconheça.

5.º Jon, a mando de Meia-Mão, junta-se aos selvagens para descobrir quais são os planos de Mance Ryder, de forma a conseguir informar a Patrulha de como agir.

terça-feira, 22 de abril de 2014

Novidade Oficina do Livro: A Paixão de Senna

A Paixão de Senna, de Rui Pelejão
358 páginas
PVP 17,50€
e-book 12,99 €

A vida e a morte do piloto, Ayrton Senna, que animava os nossos domingos e amava Portugal. Um livro que em que se comemoram os 20 anos sobre o seu desaparecimento, após um acidente fatal no Grande Prémio de Imola, a 1 de Maio de 1994.

Repleto de episódios de bastidores divertidos e polémicos, A Paixão de Senna é, simultaneamente, uma viagem à história do desporto mais perigoso do mundo e um retrato de um ícone do século XX.

No dia 1 de maio de 1994, antes da partida para o Grande Prémio de São Marino, em Imola, o piloto brasileiro Ayrton Senna, referindo-se à perigosíssima curva de Tamburello, dizia: «Ali, se houver um problema, só me resta fazer o sinal da cruz.»

Estas terríveis palavras soariam como uma premonição. Poucos minutos depois, o seu Williams-Renault despistava-se a quase 300 km/h naquela mesma curva. A morte em directo de Ayrton Senna, vista por mais de 700 milhões de telespectadores, marcou para sempre a F1 e uma geração inteira de adeptos.

Este livro relata pormenorizadamente a carreira do piloto, desde os tempos do karting até aos duelos com o rival Alain Prost, e revela o seu lado profundamente humano, com as suas contradições, a sua espiritualidade, os seus amores, as suas aventuras e, também, a sua relação com Portugal.

Sobre o autor:
Rui Pelejão nasceu em Lisboa em 1973 e é jornalista especializado em automobilismo. Licenciado em Comunicação Social pelo ISCSP, começou a carreira no Jornal do Fundão. Foi depois redator, chefe de redação e diretor de publicações como Jornal dos Clássicos, Autosport e Volante. Colaborou ainda com o semanário Expresso e a revista Exame. É coordenador e apresentador do programa Volante (da SIC Notícias) e autor do blogue de automóveis e viagens, Grande Turismo.

Entusiasta da Fórmula 1, tem uma predileção pelos falecidos Gilles Villeneuve e Ayrton Senna, sobre o qual escreve este seu primeiro livro.

segunda-feira, 21 de abril de 2014

O Despertar da Magia - volume I de II

Terminei há instantes a primeira parte do 4.º livro da (épica) obra As Crónicas de Gelo e Fogo.

Neste, Theon Greyjoy conquista Winterfell. Pela 1.ª vez, em séculos, não é um Stark que domina Winterfell. Pela força e com modos arrogantes e autoritários, o (auto-proclamado) herdeiro de Balon Greyjoy obriga Bran a entregar-lhe a fortaleza e senta-se no lugar de Robb. Contudo os jovens Stark (Bran e Rickon) desaparecem e deixam Theon em maus lençóis, porque na ânsia de impressionar o pai, ficou mal-visto perante os seus homens.

Em Porto Real, Tyrion Lannister prepara-se para a iminente invasão de Stannis. Contra tudo e todos, com um grupo de mercenários, o anão continua a agir nas costas de Cersei, a irmã e rainha regente...

Dany continua na sua demanda para adquirir barcos e soldados para alcançar Westeros... em Qarth, é levada à Casa dos Undying (Imorredouros, na versão portuguesa), e quase se perde, para sempre, entre os labirintos e ilusões destes mestres da feitiçaria.

Em Harrenhal, alguns homens do Norte são capturados, mas com a ajuda de Arya, são libertos e tomam a grande fortaleza do patriarca dos Lannister, que já a havia abandonado. A bandeira do lobo é hasteada.

Para além da Muralha, Jon integra um grupo de patrulheiros que sai em busca dos selvagens. Pela 1.ª vez, o bastardo de Ned Stark vê-se numa situação confrangedora, em que a vida de uma selvagem - Ygritte - está nas suas mãos.

***

Nesta Páscoa, descobri que um dos meus primos também é fã da saga, e que tem a colecção inteirinha. Os volumes 6, 7, 8 e 9 estão cá em casa, emprestados.

Gabriel García Márques... o meu adeus!

Imagem Wikipédia
É triste, mas por falta de tempo e acesso limitado à Internet, apenas na 6.ª feira tive conhecimento do falecimento de Gabriel García Márques, e compromissos familiares impediram-me de aqui deixar a minha sentida homenagem a este grande homem.

Há muitos anos, li Memórias das Minhas Putas Tristes... e que me ficou (lá está!) na memória para todo o sempre.
Mais recentemente, li Relato de um NáufragoA Aventura de Miguel Littin, Clandestino no Chile. Duas obras muito diferentes, entre si, mas onde é mais do que palpável a genialidade de García Márques (seja qual for o estilo).

Até um dia!

À atenção de todos os leirienses... Maratona de Leitura na Livraria Arquivo

Dia 23 - na quarta-feira, portanto - a Livraria Arquivo, em Leiria, vai ser palco de uma maratona de leitura, de forma a celebrar o Dia Mundial do Livro.

Livraria Arquivo (interior).
Imagem retirada daqui
Segundo o email que me chegou às mãos, qualquer pessoa pode aparecer, e, simplesmente ler algo que adore e ache que deva ser partilhado. As leituras têm início às 12h00 e prolongam-se até às 22h00.

Nesse mesmo dia, às 19h00, irá decorrer mais um encontro do Clube de Leitura Arquivo, desta feita sobre o livro "Os Memoráveis", de Lídia Jorge.

quarta-feira, 16 de abril de 2014

Novidade: Comer Bem Sem Sacríficios

A nutricionista Andreia Santos e o conceituado chef Hélio Loureiro pretendem partilhar os conhecimentos adquiridos ao longo das suas vidas profissionais, mas também transmitir a luz, a força, a energia e a vontade de atingir um objectivo – Comer Bem Sem Sacrifícios – com os sabores da Cozinha Portuguesa e da alimentação mediterrânica.

Numa perspectiva essencialmente prática, sem perder o sabor íntimo da tradição portuguesa, demonstram como conjugar saúde, alimentação e o prazer de estar à mesa. Identificando os principais problemas de saúde derivados de uma alimentação com excessos e aprendendo a preveni-los.

Com estes conselhos e receitas culinárias, vai sentir-se melhor física e psicologicamente e vai acreditar que é possível fazer algo bom por si.

Conheça os conselhos práticos que pode seguir para comer de forma saudável e emagrecer, em apenas 29 tópicos.

Os autores? Bem, esses dispensam apresentações... 

O Livro do Desassossego, em versão de bolso

Agora em edição de bolso, mais económica e portátil,
o livro que inaugurou a Colecção Pessoa,
dirigida por Jerónimo Pizarro.

O Livro do Desassossego é um dos maiores feitos literários do século XX. Obra-prima póstuma, retrato da cidade de Lisboa e do seu retratista, compõe‑se de centenas de fragmentos, oscilando entre diário íntimo, prosa poética e narrativa, num conjunto fundamental para compreender o lugar de Fernando Pessoa na criação da consciência do mundo moderno.

Jerónimo Pizarro, reconhecido estudioso pessoano, regressa às fontes dos textos que Pessoa pretendia incorporar no Livro do Desassossego e redefine o cânone da sua autoria. Com uma nova organização, aperfeiçoando a decifração de quase todos os fragmentos e actualizando a grafia, este livro reúne os atributos para se tornar a edição de referência.


Novidade: O Atentado, de David Baldacci

HOJE nas livrarias para fãs de thrillers

 Depois de Os Inocentes, David Baldacci regressa agora às livrarias com um livro que tem o Médio Oriente como palco e uma cimeira internacional como alvo da próxima missão de Robie.

Robie é encarregado de matar uma "companheira de armas"
, depois de surgirem provas que apontam para que Jessica Reel, assassina de profissão como ele, terá mudado de campo. A missão de Robie consiste em apanhar Jessica Reel, morta ou viva. No entanto, Robie não tarda a dar-se conta de que a situação vai além da mera traição. Com efeito, por detrás do ataque de Reel esconde-se uma ameaça muito maior, e que poderá provocar ondas de choque suscetíveis de atingir o mundo inteiro.

O autor:
Não espanta que David Baldacci seja considerado o maior autor do thriller internacional. Desde que foi lançado, O Atentado já vendeu mais de 1,2 milhões de exemplares, só nos EUA, esteve 11 semanas consecutivas no top do The New York Times e alcançou o 6º lugar do top de vendas anual da Amazon. Foi ainda eleito um dos melhores livros de 2013 pelo jornal USA Today e bateu as vendas do bestseller anterior do autor, Os Inocentes, com 102.000 exemplares em apenas 12 semanas.

Há quem defenda que o segredo de tanto sucesso se deve às intrigas de espionagem de alcance internacional, ao suspense mantido até às últimas páginas, à escrita simples e acessível, à leitura viciante das obras que cria. Certo é que já vendeu mais 110 milhões de exemplares em todo o mundo, está traduzido em mais de 45 idiomas e presente em 90 países.

sexta-feira, 11 de abril de 2014

A Fúria dos Reis - volume II de II

Terminei ontem mais um dos livros da box "Crónicas de Gelo e Fogo": o segundo volume de "A Fúria dos Reis (o 3.º volume da obra de George R.R. Martin).

Os irmãos Stannis e Renly afiam os gumes para se defrontarem, não sem que Catelyn Stark, enviada pelo filho Robb, tente evitar o derramamento de mais sangue. O pior acontece e uma sombra misteriosa mata o mais jovem dos pretendentes ao Trono de Ferro.
E os seguidores de Renly passam para o lado do (legítimo) herdeiro do falecido rei Robert.

Arya que tentava, desesperadamente, chegar a casa, misturada num grupo de indigentes que tinha como destino a Muralha, vê-se com um problema ainda maior, e cai "na boca do lobo": em pleno quartel-general do exército dos Lannister.

Sansa continua refém do (cada vez pior) Joffrey. A mais velha dos Stark sofre às mãos do caprichoso e malvado rei, até que um "cavaleiro branco" lhe propõe que fuja. Este passa a ser o ser grande objectivo, por isso.

Tyrion Lannister tenta fazer aquilo que o sobrinho não faz: organizar, logisticamente, Porto Real que está na iminência de ser tomado pelas forças inimigas. Alianças são feitas, e os espiões aos poucos vão sendo revelados.

Jon e os outros Irmãos da Patrulha continuam no seu caminho, à procura dos patrulheiros há muito desaparecidos. 

Enquanto isso, no Leste, os dragões de Dany estão cada vez maiores e mais fortes, e suscitam a curiosidade das pessoas mais estranhas que podem (ou não) vir a ser grande aliados da princesa, que procura chegar a Porto Real e reclamar o trono e a honra dos Targaryen. 

"Deixe-se enredar na guerra dos tronos onde só importa vencer ou morrer".

Novidade Quinta Essência

Uma Noite no Expresso do Oriente, de Veronica Henry

Sinopse:
Para o grupo de passageiros que se instala nos seus lugares e bebe os primeiros goles de champanhe, a via
gem de Londres até Veneza é mais do que a viagem de uma vida.
Uma missão misteriosa; uma promessa feita a um amigo moribundo; uma proposta inesperada; um segredo que remonta a vida inteira... Enquanto o comboio segue viagem, revelações, confissões e encontros amorosos têm lugar no cenário mais romântico e infame do mundo.

Sobre a autora:
Veronica Henry trabalhou como argumentista para várias séries televisivas, antes de dedicar à ficção. Uma Noite no Expresso do Oriente é o seu décimo primeiro romance. Veronica vive com o marido e os três filhos numa aldeia no norte de Devon.
Para mais informações, visite www.veronicahenry.co.uk

Novidade Tinta-da-China

Mi Buenos Aires querido, descrita por Ernesto Schoo

"Frente ao desafio de escrever sobre a complexa cidade de hoje, e a impossibilidade de abarcar Buenos Aires na sua densa malha urbana, vislumbrei uma única escolha possível: referir-me à “minha” cidade, o espaço delimitado onde decorreu a minha já longa vida. Ao reler-me, no final desta deambulação totalmente subjectiva pelas ruas, pelos lugares e pelos edifícios que me são familiares, deixo o alerta para os limites, talvez estreitos, das minhas andanças portenhas. (...) Quero ser fiel aos cenários que conheço em vez de fingir uma cidadania ecuménica, essa espécie de condição absoluta de portenho a que aspiram imaginariamente alguns vates antiquados."

A tradução ficou a cargo do jornalista Carlos Vaz Marques e o prefácio tem a assinatura de Carlos Quevedo.

Sobre o autor:
Ernesto Schoo (Buenos Aires, 1925-2013) foi jornalista, bolseiro da Fundação Guggenheim, director artístico do Teatro San Martín. Figura incontornável da cultura do século XX na Argentina, foi também tradutor e escreveu vários romances, um livro de contos, um ensaio e um livro de memórias. «Mi Buenos Aires Querido» é o primeiro livro do autor publicado em Portugal.

Ciclo Casino das Letras - dia 15 de Abril



A Sociedade Portuguesa de Autores e o Casino da Figueira da Foz apresentam a quarta sessão do ciclo "Casino das Letras", com o poeta, ficcionista e ensaísta (algarvio) Casimiro de Brito.

A coordenação deste ciclo por parte da SPA, está a cargo de Teresa Carvalho, da Universidade de Coimbra  que fará o acompanhamento e a moderação
do debate.

A sessão tem lugar dia 15 de Abril, pelas 21h30, no Casino da Figueira da Foz.


segunda-feira, 7 de abril de 2014

Uma Aventura... sinopse do n.º 56 e uma pergunta

Não podia deixar de aqui publicar esta notícia: acaba de sair o livro n.º 56 da (eterna e sempre presente!) colecção "Uma Aventura...", de Ana Maria Magalhães e Isabel Alçada (e ilustrações de Arlindo Fagundes).

Sinopse: 
O pai da Glória, uma amiga das gémeas, comprou num leilão uma casa na Lagoa, casa que ainda não conhece. Um dia a Glória convida as gémeas e os amigos a passarem uns dias de férias na Casa da Lagoa.

Quando chegam à Casa da Lagoa, perto de uma pequena aldeia, além da casa em mau estado, confrontam-se com uma mensagem aterradora numa das paredes: maldito seja quem pisar este chão… A partir daí todo o mistério se vai desenrolar: O Zé Cabeça anda a fugir da polícia por causa de um crime que não cometeu e uns quantos bandidos procuram tesouros egípcios que julgam encontrar-se na Casa. E como aparece até uma múmia num dos anexos!…

E com isto já lá vão 32 anos de vida!

(o meu primeiro livro da colecção foi "Uma Aventura no Carnaval, oferecida por um primo por ocasião de um aniversário... e vocês ainda se lembram do vosso primeiro "Uma Aventura"?)

Amanhã: Gonçalo M. Tavares nas Caldas da Rainha


quarta-feira, 2 de abril de 2014

Oficinas de Escrita Do Texto Dramático, da SPA

As inscrições para o workshop terminam dia 9 de Abril.

Para mais informações, os interessados devem contactar
gacri@spautores.pt ou pelo telemóvel 213 594 437.
 


 

Novidades Leya

Guia prático para ser um Chef de cozinha, de Louise Dixon

Um livro de técnicas e dicas, destinado a todos os que gostam de cozinhar e fazer experiências na cozinha. Uma colecção de informações, dicas, factos, diversão e algumas receitas e truques que podem ajudá-lo em omentos difíceis.
Quer pretenda aprender o «básico», preparar refeições rápidas, cozinhar um prato mais gourmet ou, simplesmente, utilizar novos métodos na cozinha, este é o livro ideal para si.
Desde conselhos sobre manuseamento e preparação de alimentos, aos cortes das várias carnes, passando por técnicas e truques para tornar mais saborosas as suas sobremesas, este livro está repleto de dicas e truques – velhos, novos e alguns até surpreendentes – para confecionar os pratos mais variados.
Um verdadeiro tesouro que fará vir ao de cima o melhor de cada um na cozinha.

Sobre a autora:
Louise Dixon gosta de experimentar novas receitas e técnicas na cozinha, e de as partilhar.

***

Lost Boys, de Lilian Carmine
Acabada de mudar de cidade, Joey Gray sente-se um pouco perdida, até que conhece um misterioso e atraente rapaz perto da sua nova casa. Mas Tristan Halloway não é o que aparenta ser à primeira vista. E há uma razão muito especial para ele andar a vaguear por entre as sepulturas do cemitério da cidade… é uma história romântica e mágica entre uma mulher e um fantasma.
Mais do que uma história sobrenatural, Lost Boys fala sobre o amor absoluto, a música e a amizade. Conhece Joey Gray e os seus rapazes enquanto embarcam na maior aventura das suas vidas!


Sobre a autora:
Lilian Carmine (de seu verdadeiro nome Bruna Brito) vive em São Paulo, é escritora e artista freelance. Actualmente trabalha em ilustração de livros infantis, animação, banda desenhada,design e criação de personagens, e pintura digital – além de estar a escrever o próximo livro da série Lost Boys.
Lost Boys foi originalmente publicado em e-book; nos EUA foram feitos 33 milhões de downloads em 6 meses. A visualização foi tão grande que chamou a atenção da editora inglesa Gillian Green, que só ao entrar em contacto com a autora, descobriu que era brasileira.

***

A Informadora, de Lindsey Davies
Inspirado em factos reais, um crime na Roma Antiga, uma viagem no tempo que nos permite ver o mundo antigo, sob a perspectiva de uma mulher.

Roma, ano 89 DC. As regras ditam que uma mulher deve ser submissa e modesta. Não deve levantar a voz, vestir roupas extravagantes, sair à noite, beber ou desafiar a autoridade… e muito menos envolver-se em assuntos criminais.
Flávia Albia contraria todas estas normas (e mais algumas). Vive sozinha na zona boémia de Roma, cultiva amizades pouco recomendáveis e não se coíbe de lutar pelos seus direitos. Filha de um detetive, Flávia decidiu desde cedo seguir os passos do pai. Mas a investigação é uma profissão masculina. Para ser respeitada, ela sabe que terá de ser a mais rápida, a mais perspicaz, a melhor.
Flávia é a única a reparar que o número de mortes inexplicáveis tem vindo a aumentar na cidade. Por não terem ligação entre si nem indícios de violência, não levantaram suspeitas. As denúncias de Flávia são ignoradas pelas autoridades, que estão demasiado ocupadas com a organização dos Jogos de Ceres, o momento alto do ano. E até mesmo a própria Flávia, distraída com a perspetiva de um novo romance, não vê que a morte está demasiado perto de casa…

Sobre a autora:
Lindsey Davis nasceu em Birmingham, Reino Unido, e estudou Literatura Inglesa em Oxford.
Os seus romances policiais passados na Antiguidade Clássica granjearam-lhe fama mundial e diversos prémios literários, nomeadamente o Crimewriters’ Association Dagger, o Ellis Peters Historical Dagger e o Sherlock Award. Em 2009, a cidade de Saragoça atribuiu-lhe o Prémio internacional pela sua carreira de escritora histórica. Graças à notoriedade que Roma ganhou com a sua obra, a cidade honrou-a com o Premio Colosseo, em 2010.
Em 2011 foi distinguida com o prémio de carreira Cartier Diamond Dagger pela Crimewriters’ Association.



sábado, 22 de março de 2014

Novidade Quinta Essência: nas livrarias a 25 de Março

80 milhões de exemplares vendidos

Ela procura o assassino da irmã… e talvez seja a próxima vítima

Bellamy Lyston tinha apenas doze anos quando a irmã mais velha, Susan, foi morta num dia de feriado tempestuoso em finais de Maio. O medo que Bellamy tem de tempestades é uma herança do furacão que destruíra todas as provas que pudessem existir no local do crime, juntamente com aquilo de que se recordava do que acontecera realmente durante os momentos mais devastadores desse dia.

(mais informações aqui)

A Fúria dos Reis, volume I de II

Imagem retirada do site
 Saída de Emergência,
 e não corresponde à edição que li
Continuo a minha saga nos Sete Reinos. Após a morte de Khal Drogo, os dargões de Dany nasceram e um cometa vermelho pintou os céus...

Cada um dos nossos protagonistas interpretou o cometa como um sinal a si favorável. Starks e Lannisters estão prontos para o grande combate. Stannis Baratheon, irmão do falecido Rei Robert, intitula-se Rei e alia-se a uma estranha religião, mal-vista entre os seus. A promessa é a de que terá um exército às suas ordens para tomar Porto Real e o Trono de Ferro.
Mas Renly, o irmão mais novo, também cobiça o título... e eis que temos mais um auto-intitulado Rei.

Theon, às ordens de Robb, volta a casa, após 10 anos de cativeiro com os Stark. A recepção não é aquela que ele julgava, e o pai, ao invés de o receber de braços abertos, recebe-o com palavras duras e de vingança.

Dany, orientada por desejos de vingança, atravessa um vasto deserto, com os seus dragões, para encontrar quem a leve de volta para reclamar o Trono.

Na Muralha, Jon integra um grupo que partiu em busca dos irmão desaparecidos. Aquilo que encontram é vilas sem gente, bens completamente queimados... desolador e chocante.

Arya continua a fazer-se passar por rapaz, de forma a conseguir sobreviver. No seu percurso até à Muralha, enfrenta mais adversidades do que aquelas que contava.

Considerei este livro - o 1.º volume de dois - mais pausado do que a Muralha de Gelo, mas, sem dúvida que estas Crónicas de Gelo e Fogo são um verdadeiro tratado à literatura.

quarta-feira, 19 de março de 2014

JÁ CHEGARAAAAMMMM

A Grande Aventura Literária que a Editorial Presença promoveu há umas semanas, rendeu-me 3 livros gratuitos (só paguei os portes de envio).
Passado quase um mês, os meus livrinhos chegaram... os meus lindinhos! Escolhi 3 estilos diferente - romance clássico brasileiro, thriller e romance fantástico - por não conseguir cingir-me apenas a um. Estou muito satisfeita com estas escolhas que me prometem horas, no futuro, de entretenimento.


Resumos adaptados do site da Presença:

As Meninas, de Lygia Fagundes Telles 
Romance escrito em 1973, apresenta a vida e as relações afectivas, sexuais e familiares de três jovens universitárias, no auge da ditadura militar no Brasil. Foi um dos raros textos que ousaram abordar temas como a repressão e a tortura. Lygia Fagundes Telles fê-lo através desta narrativa que se desenrola no microcosmo que é um pensionato de freiras, onde vamos encontrar Lia, Lorena e Ana Clara, três personagens provenientes de estratos sociais distintos. Amigas íntimas, dialogam, reflectem e monologam, questionando-se. A sua união é no entanto precária, e não apenas por ser circunstancial, mas porque cada uma segue um caminho que lhe é próprio, um destino individual que transcende qualquer análise sociológica.

Morte no Bosque, de Harlan Coben
Para Paul Copeland, a vida nunca mais foi a mesma desde que uma noite, há vinte anos, quatro jovens por quem era responsável num acampamento de Verão desapareceram no bosque circundante. Dois foram encontrados sem vida na manhã seguinte, e os outros dois, a sua irmã Camille e Gil Perez, nunca mais voltaram a ser vistos. Quando o corpo deste último aparece, mas recentemente assassinado, Paul começa a investigar a fundo o que aconteceu naquela noite, e aquilo que está prestes a descobrir poderá revelar-se muito mais perverso do que alguma vez imaginara...

Stone Heart - o Enigma da Esfinge, de Charlie Fletcher
Quando George quebrou a cabeça da estátua do dragão no Museu de História Natural de Londres estava a anos-luz de poder imaginar que esse acto impensado viria a ter consequências verdadeiramente catastróficas para a sua vida e para a própria cidade. Uma força poderosíssima, adormecida desde tempos imemoriais nas profundezas da capital, aguardava pela oportunidade de voltar à vida, e agora esse momento tinha finalmente chegado. O caos da devastação ameaça instalar-se, e para repor a normalidade George terá de empenhar toda a sua coragem e contar com a preciosa ajuda de Edie e de um soldado da Primeira Guerra Mundial, eles próprios também estátuas. Uma aventura épica de cortar a respiração, que nos dá a conhecer uma outra Londres.

terça-feira, 18 de março de 2014

segunda-feira, 17 de março de 2014

Justificação

Imagem retirada daqui
Olá a todos os que seguem o Capa Mole & Companhia.

Ultimamente, devem ter estranhado - ou não - que o Capa Mole tem publicado apenas notícias relacionadas com lançamentos e outras novidades das nossas editoras.
A verdade é que não tenho conseguido ler uma única página dos meus livros. É frustrante, até para mim.
Tenho andado a fazer formação, e, para tal, levanto-me bastante cedo. Quando cai a noite, como se diz na gíria, "não posso com uma gata pelo rabo". Batem ali as 22h e já estou a cair de sono... e se a isso juntarmos um bebé com mau dormir... é fazer as contas.

O meu aniversário aconteceu quase há um mês e o maridão ofereceu-me um livro com as melhores frases de Tyrion Lannister - já que estou super-fã dos livros de As Crónicas de Gelo e Fogo.

A acompanhar as geniais tiradas e de requintada ironia desta que é a minha personagem favorita - já a era devido à inesquecível interpretação do actor Peter Dinklage - vêm quatro marcadores, com frases marcantes do Duende.

Imagem retirada daqui
Pelo meu aniversário, recebi também, em nome das minhas sobrinhas - bebézinhas de 7 meses - o livro "Receitas para a Felicidade - para robôs de cozinha", já que uma das aquisições de ano novo foi a Yammi.
Este livro, da autoria de Mariana Teixeira, nasceu do blogue com o mesmo nome "Receitas para a Felicidade", e segundo a própria autora, as receitas foram todas testadas de forma a serem confeccionadas por qualquer robô de cozinha no mercado.
Apesar do livro oficial da minha máquina ser muito bem fornecido de receitas, este traz umas quantas que não estão no outro. Uma prenda que trará resultados mais... físicos :)


O 25 de Abril "Nas Bocas do Mundo"

"Entre o 25 de Abril de 1974 e o 25 de Novembro de 1975, Portugal ocupou primeiras páginas de jornais, capas de revistas e aberturas de noticiários radiofónicos e televisivos por todo o mundo, com uma intensidade que nunca antes ocorrera na sua história.

Através da consulta de publicações em 20 países, este livro reproduz perto de 400 imagens e reconstitui as diversas perspetivas pelas quais a imprensa internacional acompanhou o tumultuoso processo político português de onde nasceu o nosso atual regime democrático", é desta forma que a Tinta-da-China apresenta a sua sugestão de leitura para o próximo feriado.

"Nas Bocas do Mundo - O 25 de Abril e o PREC na imprensa internacional", de Joaquim Vieira e de Reto Monico é um compêndio de imagens daquela que foi uma das datas mais importantes da nossa História Contemporânea.

Pormenores do livro podem ser consultados aqui.

O interior do livro aqui.
 
Fonte: Edições Tinta-da-China

segunda-feira, 10 de março de 2014

Aspas - A sua leitura começa aqui.

Só muito recentemente me apercebi que o Pingo Doce tem um folheto denominado "Aspas", com entrevistas, sugestões de leitura. etc.

O número que me chamou a atenção é o n.º5, referente ao mês de Fevereiro. Neste folheto, são publicadas entrevistas a Francisco Camacho, autor do livro "A última canção da noite" e a Margarida Fonseca Santos, autora de literatura infanto-juvenil.

Mário Zambujal sugere "A Selva" de Ferreira de Castro.

Prestem atenção no vosso hipermercado PD.

Link do folheto "Aspas" de Fevereiro: http://pdflipbook.pingodoce.pt/flipbook/Aspas_Fevereiro/index.html#p=4

Lançamento: A criança como recurso terapêutico

A Sociedade Portuguesa de Terapia Familiar e a Editorial Caminho vão lançar o livro "A criança como recurso terapêutico", de Maurizio Andolfi, na quinta-feira, dia 13 de Março, pelas 18h30, na Livraria LeYa na Buchholz (Rua Duque de Palmela, 4, em Lisboa).

A apresentação está a cargo de Daniel Sampaio (que assina o prefácio), Francisco Gonçalves Ferreira e Manuel Peixoto.








Fonte: Grupo Leya | Editorial Caminho

sexta-feira, 7 de março de 2014

Casino das Letras - 3.ª edição


"Casino das Letras" é uma parceria da SPA com o Casino da Figueira da Foz na área da literatura. Esta parceria permite apresentar no Casino da Figueira da Foz, ao longo do corrente ano, alguns dos nomes mais representativos da literatura portuguesa contemporânea, pertencentes a várias gerações.

Teresa Rita Lopes (escritora e investigadora pessoana) é a terceira convidada do "Casino das Letras", na anterior sessão o convidado foi Gonçalo M. Tavares e na primeira sessão esteve o escritor Mário Cláudio.

Fonte: Sociedade Portuguesa de Autores

quinta-feira, 6 de março de 2014

Novidade Leya: 10 por 10, de Chakall

"A inspiração para estas receitas nasceu num dia em que, subitamente, havia dez pessoas para jantar e não tinha previsto tanta gente, dispunha de cerca de meia hora para criar um prato capaz de surpreender os meus convidados – eu queria surpreendê-los." 
Chakall

Para esta época acelerada e de poupança, tempo é dinheiro mais do que nunca. Com a sua habitual criatividade e humor, o chef Chakall propõe-lhe um conjunto de receitas rápidas e pouco dispendiosas.
É o resultado de um trabalho em que a arte do improviso e a vontade de confeccionar pratos com o que sobra de outras refeições se juntam numa combinação eficaz, económica e surpreendente.
Por menos de 10 euros e em menos de 10 minutos, cozinhe estes pratos deliciosos e imaginativos para a família e para os amigos – e saboreie a vida em boa companhia.

Sobre o autor:
Chakall nasceu em Tigre, Buenos Aires.
Neste momento é chef dos restaurantes: Volver, Blend e Gant Gourmet em Lisboa, O restaurante Praya no Algarve e Sudaka, em Berlim.
É, ainda, chef executivo da Cozinha Divina Catering, da SATA Airlines, consultor de várias marcas e produtos.
Tem programas de televisão em Portugal, China e Alemanha em simultâneo.
Este é quinto livro de culinária que publica na Oficina do Livro

terça-feira, 4 de março de 2014

Novidade Clube do Autor: O Bibliotecário, de A. M. Dean

Emily Wess e Arno Holmstrand são os protagonistas da história que, desde as primeiras páginas, conduzem o leitor até à biblioteca perdida de Alexandria, um importante centro de estudos no Egito entre o século III a. C. e até cerca de 30 a. C., e acerca do qual deixam de existir referências a partir do século VI.

O que terá sucedido? Será possível a biblioteca ter passado à clandestinidade? Será possível ter sobrevivido, de alguma forma, até aos nossos dias? Será possível ainda existir, mas noutro local? E se sim, onde poderá estar?

O intruso inspirou e, sem sequer pestanejar, disparou dois tiros consecutivos, que se alojaram no peito de Arno. A escuridão da sala cresceu. Arno Holmstrand ficou a ver a silhueta do seu assassino perder a nitidez. Depois pareceu afastar-se. A escuridão aumentou. E depois mais nada.

Ou, pelo contrário, tudo sucede a partir daqui no enredo construído por A. M. Dean. Com a morte de Arno, o leitor acompanha Emily na descodificação de várias pistas, por lugares e tempos historicamente magníficos e bem documentados, até que todas as respostas estejam finalmente respondidas.

Sobre o autor:
A. M. Dean é um conceituado historiador especializado em culturas antigas, há muito fascinado pela Biblioteca Real de Alexandria, o maior arquivo de conhecimento da Antiguidade.
O Bibliotecário é o romance de estreia de A. M. Dean, e foi muito bem recebido pela crítica e pelos leitores. Já está traduzido para 16 línguas.

Fonte: Clube do Autor

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Caminho Traído, segundo romance de Susana Esteves Nunes

Habituada a uma vida árdua e com uma grande falência de amigos e família, Amélia tenta, uma vez mais, superar e seguir aquele que é o seu destino.
Embora tivesse sido abandonada, quando ainda um bebé recém-nascido, não vive obstinada por explicações sobre os motivos do seu abandono.
Depois de deixar o orfanato, onde cresceu e foi criada até à maioridade, tem como objetivo conseguir independência financeira, através de um trabalho digno.
Será esse emprego a sua salvação ou o seu calvário?
Quando por fim, os amigos e o amor brotam na sua vida e quando, finalmente, parece ter encontrado o seu caminho, Amélia depara-se com mais contrariedades.
Conhecer o preconceito social, a traição e um amor perdido, não será fácil para esta jovem. Será ela capaz de superar mais esta adversidade? Poderá um amor resistir a tantos obstáculo?

Um romance repleto de adversidades e traições. Onde o amor é a peça fundamental para um enlace feliz, ou será?

Sobre a autora:
Susana Esteves Nunes nasceu em Lisboa em Agosto de 1976. Em 2012, lançou o seu primeiro romance, com o título "A Força do Destino". Dedicada a 100% à escrita, lança agora o seu segundo romance, "Caminho Traído".

Apresentação de "Caminho Traído"
A apresentação desta obra está agendada para o próximo dia 29 de Março, pelas, 16h30, na livraria Desassossego (da Chiado Editora), na Rua São Bento, 34, em Lisboa.
O orador convidado é o Professor Diogo Santos.

Jovem escritor português distinguido no Brasil

O site Dinheiro Vivo noticia: 

"O jovem escritor de 24 anos, Samuel Pimenta, vai receber a Comenda Luís Vaz de Camões das mãos da Literarte - Associação Internacional de Escritores e Artistas, no âmbito das Comemorações dos 800 anos da Língua Portuguesa." (carregar no texto para ler notícia completa)


Imagem retirada daqui

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce

"O Prémio de Literatura Infantil Pingo Doce surge com o objectivo de incentivar a criatividade literária e artística, premiando obras originais, de autores sem livros publicados, que promovam o gosto pela leitura das crianças portuguesas", assim se lê na página do concurso promovido pela cadeia do Grupo Jerónimo Martins.



O concurso divide-se em duas partes: uma de texto e outra de ilustração.

O prémio é no valor de 50.000€.

Para mais informações, consultem o site do prémio.