domingo, 31 de dezembro de 2017

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Balanço de Natal

Estes dias têm sido parados por aqui; não na vida real, esta que tenho, para além do computador e do blogue. Com marido e filho de férias, com Natal, jantares e afins, o tempo que sobra não é muito. Houve um soprozito de vida na véspera de Natal, mas... pecadora me confesso... foi um post programado.

Mas, vamos ao importante: o balanço das minhas prendas de Natal, que foram/são relevantes para este espaço.

O maridão ofereceu-me um Kindle. Ainda estou a experimentar e a instalar livros... mas o primeiro contacto é positivo. Já usava o tablet para ler livros, mas nos dias de sol, tornava-se complicado. Com o Kindle já percebi que a ideia é mesmo simular as páginas dos livros e o sol não irá ser um impedimento. 

O meu irmão, sabedor... aliás, conhecedor em 1.ª mão do meu interesse pelo universo de Harry Potter - afinal de contas, foi a nossa mãe que promoveu a compra dos primeiros livros ainda eu era adolescente - ofereceu-me um copo Gryffindor. YEY.


Eu, durante as compras de Natal, encontrei algumas promoçõezinhas interessantes em livros. Acabei mesmo por comprar três para me oferecer. Umas prendinhas de mim para mim. Tem havido muito "ruído" acerca de "Os Loucas da Rua Mazur" e não resisti. Os outros dois comprei no Continente, estava um com 50% de desconto, e o outro com 40%.



domingo, 24 de dezembro de 2017

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Novidade: Um Dia, de Morris Gleitzman

Do multipremiado Morris Gleitzman, chega às livrarias portuguesas, pela mão da Fábula, um livro fabuloso. 
Um Dia - o primeiro de vários livros de Felix, um órfão judeu apanhado no meio do Holocausto - vai deixar todos os leitores sem fôlego da primeira à última página. 
Considerado como um dos 100 melhores livros para jovens!

«Toda a gente merece ter alguma coisa boa na vida, pelo menos uma vez.»

Sinopse: 
A vida de Felix Salinger não é nada fácil. Ele é judeu e vive num orfanato na Polónia dos anos 40, em plena Segunda Guerra Mundial. Felix gosta de ler, escrever e contar histórias. Até que um dia, decide fugir para procurar os seus pais. A determinação, inteligência e imaginação de Felix vão ajudá-lo a lidar com situações muito difíceis, no meio de nazis e cidadãos apavorados, e a encontrar pessoas maravilhosas, como a pequena Zelda e o velho Barney.

Contada na primeira pessoa, por uma criança cheia de sonhos e muito inocente, esta emocionante história aborda a infância, a solidariedade, a amizade, a coragem e a esperança no meio do drama da guerra. Um livro que nos toca, que não se esquece. Pode ser lido por várias gerações, que o vão entender, certamente, de forma diferente.

Sobre o autor:
Morris Gleitzman nasceu em Inglaterra, em 1953, e a sua família emigrou para a Austrália, em 1969. É autor de vários bestsellers. Muitas das suas obras são sobre assuntos duros, com abordagens interessantes e originais. Morris escreveu o seu primeiro livro para crianças em 1985.

Adotou um estilo descontraído e divertido, o que atraiu desde logo muitos leitores. É agora um dos autores mais conceituados da Austrália. Recebeu inúmeros prémios como autor de séries televisivas, guiões de cinema e livros infantojuvenis. Os livros de Morris Gleitzman estão publicados em cerca de vinte países.

domingo, 17 de dezembro de 2017

sábado, 16 de dezembro de 2017

Germano Silva condecorado pelo Presidente da República

Jornalista e cronista incontornável da história do Porto agraciado com a Ordem do Mérito.

Germano Silva, jornalista e historiador, recebeu dia 7 de dezembro, a Ordem do Mérito, imposta pelo Presidente da República, numa cerimónia realizada no Salão Nobre da Câmara Municipal do Porto.

Com 86 anos, este incontornável cronista da história e das histórias da Porto, foi uma das individualidades distinguidas pelo Professor Marcelo Rebelo de Sousa.

A Ordem do Mérito destina-se a galardoar atos ou serviços meritórios praticados no exercício de quaisquer funções, públicas ou privadas, que revelem abnegação em favor da coletividade.

©Patrícia Cardoso, Porto Editora

quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

Novidade: O Escultor da Morte, de Chris Carter

Sinopse:
Até a obra de arte estar completa, a morte vai ter de esperar.
Quando a enfermeira Melinda Wallis entra no quarto de um paciente a seu cuidado, mal pode imaginar aquilo que vai encontrar.

Derek Nicholson, um importante advogado de Los Angeles, foi brutalmente assassinado. O homicida mutilou os seus membros e construiu com eles uma escultura. Chamado de emergência ao local do crime, o inspetor Robert Hunter não percebe as motivações por detrás de um crime tão hediondo. Especialmente porque Nicholson, que sofria de cancro em fase terminal, já não tinha muitas semanas de vida.

Quando um segundo corpo aparece num barco ancorado na marina de Los Angeles, o mistério adensa-se. Trata-se, agora, de um agente da polícia. E o macabro da cena repete-se, com o corpo decepado a criar uma escultura estranha.

Qual será a ligação entre as duas vítimas? Que significado terá a disposição dos seus corpos? O que estará o assassino a querer dizer?
Um thriller vibrante e misterioso, com surpresas e revelações inesperadas ao virar de cada página.

P.S.: Pai Natal, podes anotar (mais) este na minha lista de pedidos... hehehe

Sobre o autor:
Chris Carter nasceu no Brasil mas cedo se mudou para os Estados Unidos, onde se formou em Psicologia, com especialização em Comportamento Criminal, na Universidade de Michigan.

Foi psicólogo criminal durante vários anos antes de se mudar para Los Angeles e depois para Londres, onde tocou com artistas conhecidos, até que deixou tudo para se tornar escritor a tempo inteiro. Hoje, aplica na escrita a sua experiência de vários anos enquanto psicólogo criminal e já publicou seis volumes da série policial Robert Hunter, todos eles bestsellers internacionais.

Os seus livros já foram traduzidos para 14 línguas e são autênticos êxitos de vendas na Dinamarca e na Alemanha. Neste último país, Chris Carter já vendeu mais de um milhão de exemplares.

Ficha Técnica:
416 pp. | 18,79€

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

As incríveis aventuras da SUPER-MIÚDA

Por gentileza da editora Clube do Autor, o meu pequeno já me ouviu a contar-lhe a história pensada por João Miguel Tavares.

Rita é a personagem principal deste livro e o facto de ter o nome da filha mais nova de João Miguel Tavares não é pura coincidência. Foi ela que inspirou o pai a escrever esta história, cheia de aventuras divertidas e muita imaginação.

As Incríveis Aventuras da Super-Miúda nasceram à mesa da cozinha, em forma de canção, sempre que a Rita dava mais trabalho a comer a papa. É por isso que o pai está tão zangado com ela no início da história. A certa altura, o livro, tal como a Rita, ganhou asas. E transformou-se nisto: uma aventura sobre a necessidade de termos regras e aceitarmos os nossos limites.

Inclui CD grátis cantado por Samuel Úria - que, por acaso, ainda não foi ouvido cá em casa.

O Henrique adorou a história e as ilustrações (a cargo de Luis Levy Lima), e imediatamente pediu-me para ir à escolinha dele para ler aos colegas. E adivinhem: já está tudo acertado com a educadora e vou lá em janeiro, depois das festividades do Natal.


domingo, 10 de dezembro de 2017

sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Conceição Duarte, a Devoradora de Livros

8 de dezembro de 1953: nasceria aquela que se tornou na minha mãe, mas que morreu poucos meses antes de completar 64 anos.

Hoje, o meu post é dedicado à minha mãe. Se hoje, este blogue existe, a ela o devo. Foi a paixão pelos livros que a minha mãe tinha, que herdei bem cedo. Aprendi, também cedo, as primeiras letras e cada vez me embrenhei mais na leitura (e, mais tarde, na escrita!).

Lembro-me das estantes cheias de livros. Livros do Brasil - Coleção Dois Mundos - era o que mais abundava. Lembro-me daquele logotipozinho nas lombadas e dos livros pela casa, ora no quarto dos meus pais, ora na mesinha da sala-de-estar. As visitas do vendedor do Clube de Leitores eram recebidas com entusiasmo.

Lembro-me de, nos primeiros anos da minha adolescência, querer comprar-lhe um livro pelos anos. De rodear as estantes da livraria em frente à escola e não levar nenhum porque os títulos ali, já ela os tinha a todos.

Lembro-me das minhas primeiras coleções de livros que ela me ia comprando à medida que ia podendo: Uma Aventura, O Clube das Chaves, Triângulo Jota - já na altura demonstrava uma apetência pelos livros policiais. Mas, aquela coleção que mais amei - porque já ela, na minha idade, a tinha amado - foi a coleção Condessa de Ségur. Li e reli Os Desastres de Sofia até à exaustão.

É... digo, era fácil, falar de livros com ela. Muitas das sugestões que aqui postei ao longo destes anos eram "intercâmbios" entre nós as duas.

E agora isto. Ficam as memórias.

Ultimamente, ela andava entusiasmada com José Rodrigues dos Santos. Comprou todos os livros - ou quase todos - do jornalista. Um dos livros por terminar, que ficou na mesa de cabeceira dela... era dele. José Rodrigues dos Santos, se me estás a ouvir, ela não chegou a comprar o último livro da trilogia Lótus. Mas aceito-o, como prenda, ao menos para completar o legado que ela me deixou!


quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Novidade: CONGO - Um Mundo Esquecido (volume I), de Henrique Gandum

Mais uma sugestão para este Natal.

‘CONGO - Um Mundo Esquecido’ é um livro de Banda-Desenhada, da autoria de Henrique Gandum (narrativa e desenho), sobre portugueses no Congo, que nos leva por uma viagem inesperada e perigosa pelo desconhecido em pleno continente africano em finais do século XIX.

Desenvolvido no decorrer de mais de dois anos, ‘CONGO - Um Mundo Esquecido’ é o primeiro livro de uma saga que nos irá revelar lendas e mitos com base em relatos reais da época contados por exploradores de vários países, entre os quais portugueses. 

Sinopse: 
Congo, 1880. Uma expedição portuguesa à região mais inexplorada da África central rapidamente corre mal. Afonso Ferreira, explorador de renome, e os seus homens, deparam-se com a morte impiedosa de um dos membros do grupo. E embrenhados na imensidão da mais inóspita selva africana lutam pela vida, enquanto criaturas primitivas e vorazes os aguardam nas sombras... 

A apresentação decorreu ontem, 5 de dezembro, com o apoio do espaço cultural/restaurante "Velha Gaiteira", na Rua das Pedras Negras, em Lisboa.

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

Novidade: Também os Brancos Sabem Dançar, de Kalaf Epalanga

Também os Brancos Sabem Dançar é o título do primeiro romance do músico e escritor Kalaf Epalanga 

A sessão de apresentação decorrerá no dia 6 de dezembro (quarta-feira), às 18h30, no São Luiz Teatro Municipal e contará com a participação de Cláudia Semedo, Cristina Roldão e Nástio Mosquito.

Sobre o Livro:
O músico e escritor Kalaf Epalanga, membro da banda Buraca Som Sistema, dirige-se de autocarro da cidade sueca de Gotemburgo para Oslo, a capital da Noruega, onde vai actuar nessa noite no festival OYA.

Como não tem um passaporte válido para mostrar é detido por tentativa de imigração ilegal e conduzido à esquadra da polícia para interrogatório. Aflito perante a iminência de perder o concerto, interroga-se: como vou explicar a estes polícias noruegueses que, apesar do meu aspecto pouco comum por estas paragens não sou mais que um pacífico músico angolano em digressão? Conseguirei explicar-lhes quem são os Buraca Som Sistema? Falo-lhes da cena musical de Lisboa? De como nasceu o Kuduro num musseque de Luanda? Eles irão perceber? Esta é a história deste extraordinário e surpreendente livro de Kalaf Epalanga.

Trata-se na realidade de uma obra de auto-ficção, cultivada por tantos escritores europeus mas relativamente rara entre nós. E o mundo que nos mostra – de Luanda a Kristiansund, de Beirute ao Rio de Janeiro, sem esquecer a sua amada Lisboa – é uma autêntica revelação.

Sobre o autor: 
Kalaf Epalanga nasceu em Benguela, Angola, em 1978. Também os Brancos Sabem Dançar é o seu primeiro romance. Publicou os livros de crónicas, O Angolano Que Comprou Lisboa (Por Metade do Preço) e Estórias de Amor para Meninos de Cor. Foi cronista do jornal Público e Rede Angola. Escreve para a GQ Portugal e é membro da banda Buraka Som Sistema. Atualmente vive e trabalha entre Lisboa e Berlim.

Ficha do Livro: 
Editorial Caminho
375 páginas 
21,90€

domingo, 3 de dezembro de 2017

sábado, 2 de dezembro de 2017

Sugestão: promoções de Natal da Fundação Francisco Manuel dos Santos

A Fundação Francisco Manuel dos Santos (fundada por Alexandre Soares dos Santos e família) veio trazer uma lufada de ar à área da publicação de ensaios e grandes reportagens (entre outros géneros) que ainda não tinham conquistado a sua fatia no mercado, ou que passavam despercebidos.

Em qualquer Pingo Doce, encontramos aqueles livrinhos com temas mais ou menos cativantes, na nossa perspetiva. Os valores, normalmente, são bastante simpáticos.

MAS... (rufos de tambores, por favor!!), a Fundação escolheu cerca de 152 destas publicações e aplicou-lhes um desconto natalício de 50%, na loja do site (creio que nas lojas físicas este desconto não se aplica).

Já estive a espreitar e vi cerca de... ó Deus... 25 destes livros que me iriam fazer feliz. Sim, uns 25. Já estive a fazer contas... à volta de 42€. ONDE é que os vos pôr???? ONDE???

Link: https://www.ffms.pt/loja/promocoes?&utm_source=facebook&utm_medium=cpc&utm_campaign=FFMS+-+Tr%C3%A1fego+Website


sexta-feira, 1 de dezembro de 2017

Sugestões de Natal: para aqueles que têm um dom na ponta dos dedos, e que cozinham como ninguém

O Mundo de Maria, de Maria Manuel Bernardino


Sinopse:

O livro de receitas simples e fáceis da jovem vencedora do MasterChef Júnior: para miúdos e graúdos se divertirem na cozinha.

Este livro é sobre diversão à volta da cozinha. Para miúdos e graúdos, contém as receitas da jovem Maria, a grande vencedora do MasterChef Júnior, divididas por ocasiões e celebrações. Seja a festa do pijama, um piquenique ou um jantar a dois. Há também snacks para levar de viagem, para acampar, receitas para o dia da desgraça, um capítulo só de bolos e por aí fora. Algumas foram apresentadas no programa televisivo da TVI, outras foram criadas para o livro.

Inventar e ser criativa, na cozinha como na vida, é o lema de Maria que, com 14 anos, acredita no talento, mas mais ainda no trabalho e convida todos os que queiram como ela aventurar-se na cozinha.

O Mundo de Maria não é apenas um livro de receitas, incluindo também dicas para maquilhagem e cabelos, já que a moda é outra das paixões da autora.

Sobre a autora:
Maria Manuel Bernardino nasceu em Bragança, em 2003, e vive em Alfândega da Fé, em Gouveia. Desde muito cedo que gostava de ver os pais e as irmãs mais velhas de volta da cozinha e aos cindo anos já pedia à mãe para ajudar. Nascia assim esta sua vocação pela culinária.
Além da cozinha e da comida, Maria é também apaixonada por moda, maquilhagem e penteados. Gosta de fazer desporto e já praticou futebol e atletismo. faz teatro e dança e a sua paixão pela televisão e pelas câmaras levou-a a arriscar concorrer ao primeiro MasterChef Júnior em Portugal, onde chegou, viu e venceu, não só pelos dotes culinários, mas também pela alegria, criatividade, simpatis e persistência que a movem e levam a perseguir os seus sonhos.

O Mundo de Maria é uma edição Oficina do Livro - 224pp | 16,60€

***


Amor com Travo Agridoce, de Pippa James


Sinopse:
Um coração conquista-se com comida deliciosa, uma língua afiada e renda provocante! A sonhadora Daisy Delaney é especialista em lingerie e tem um dom para a doçaria, mas não percebe como acabou por ficar sozinha e completamente falida. Farta da sua vida desinteressante, decide procurar a sua verdadeira vocação.

Michel Amiel é um chef francês tão genial quanto arrogante. Conheceu a fama cedo, mas com os escândalos em que se mete, a sua carreira já viu melhores dias. Principalmente agora, que as vendas dos seus livros estão a cair a pique com a chegada de uma tal Lucy Lovecake e do seu Fantasias Francesas — um livro que envolve não só receitas, mas também dicas amorosas e sugestões de lingerie para apimentar a relação.

A forte ligação que Michel e Daisy têm com a cozinha leva a que os seus caminhos se cruzem. E embora saiba que Michel a tira do sério, Daisy admite que o charme dele é como a sua comida: impossível de resistir!

Mas quanto mais Daisy se envolve na vida do chef francês, mais difícil será admitir-lhe a verdade. Sim, porque Daisy é também Lucy Lovecake! E assim, estão reunidos todos os ingredientes para o desastre!

Sobre Pippa James:
Pippa James, mais conhecida por Janey Louise Jones, é a autora da coleção bestseller A Princesa Poppy, que já vendeu mais de cinco milhões de livros em todo o mundo.
Em Portugal, a coleção já ultrapassou os 638 mil exemplares publicados, com diversos títulos a somar novas edições.
Tomando o desafio de escrever para o público adulto, Pippa James combinou a sua paixão pela comida, moda e cultura francesas.
Amor com Travo Agridoce é uma edição Topseller - 320 pp.| 17,69€

***


Isto Não É Um Livro de Receitas, de Nelson Nunes


Um ano depois do sucesso de Com o Humor não Se Brinca, onde Nelson Nunes reuniu, num só livro, os grandes nomes do humor em Portugal, as atenções viram-se agora para a cozinha.

Sinopse:
São 12 os chefs que nos abrem as portas das suas cozinhas e das suas vidas, em conversas francas e abertas, revelando práticas, segredos e preferências.
Susana Felicidade, Rui Paula, José Avillez, Henrique Sá Pessoa, Marlene Vieira, Vítor Sobral e tantos outros chefs levam-nos até ao fascinante mundo da gastronomia que se pratica em Portugal, revelando as suas técnicas, preferências e rivalidades.

Repleto de histórias pessoais sobre o percurso e o pensamento dos grandes chefs portugueses, este livro desvenda as bases fundamentais para a criação gastronómica e aborda com total clareza o processo de criação de um prato de autor.

Através de conversas com os chefs, Nelson Nunes dá-nos a conhecer as suas carreiras — o momento da descoberta, a aprendizagem, os mentores, os grandes êxitos — e revela tudo o que pensam sobre a alta cozinha e de como alcançar — e manter — uma estrela Michelin. 

Sobre o autor: 
Diz-se que Nelson Nunes é jornalista e escritor, embora o próprio tenha uma certa resistência em aceitar tão gloriosos e dignos epítetos. Mas vá, aceitemos o facto, até porque o escritor já tem obra publicada (Quando a Bola não Entra, ed. Ideia-Fixa, 2015, e Com o Humor Não se Brinca, ed. Vogais, 2016) e fez muito trabalho de reportagem ao longo dos últimos dez anos em media tão variados como Focus, Nova Gente ou Rádio Renascença. Também trabalhou como investigador científico na Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Católica Portuguesa, mas essa fase da sua vida foi demasiado circunspecta e só se repetirá sob condições muito especiais.
Atualmente, dizem que tem ideias brilhantes na agência de storytelling True Stories, embora esse testemunho lhe pareça claramente exagerado.

Isto Não É Um Livro de Receitas é uma edição Vogais - 352 pp | 16,59€ 

***


Manual de Cozinha Asiática, de Paulo Morais


Paulo Morais é consensualmente reconhecido como o pioneiro da cozinha asiática em Portugal. Conhecido pelo seu estilo sofisticado e personalidade discreta, foi o primeiro sushichefe português e revela uma vontade incessante de experimentar e inovar, tendo deixado a sua marca inconfundível em restaurantes como o Midori, a Bica do Sapato ou o Umai.

Neste livro, Paulo Morais leva-nos numa intensa e colorida viagem de sabores pelo Sudoeste da Ásia – pelo Vietname, Tailândia, Camboja, Laos, Myanmar, Malásia, Indonésia, Singapura e Filipinas.

Menos conhecidas do que as gastronomias chinesa ou japonesa, são igualmente ricas, diversificadas e saudáveis. Ao longo de dezenas de receitas de peixe, carne, vegetais, massas, entre outras, Paulo Morais ensina-nos a confecionar os melhores pratos de cada um destes países. Desde o célebre Pad Thai tailandês ao não menos famoso Pho do Vietname, passando pelo Nasi Lemak, da Malásia, e pelo Mee Goreng, da Indonésia.

Uma viagem a não perder.

Manual de Cozinha Asiática é uma edição Esfera dos Livros - 256 pp | 25,00€

***


A Nova Dieta dos 31 Dias, de Ágata Roquette


“Para tornar a sua dieta ainda mais fácil, apresento dicas, menus semanais e mais de 50 novas receitas para que consiga perder peso sem grandes sacrifícios, sem passar fome e com resultados visíveis”

Há cinco anos, Ágata Roquette revolucionou o mercado editorial na área da alimentação e dietas com A Dieta dos 31 Dias.

Depois de 230 mil exemplares vendidos, a nutricionista traz agora A Nova Dieta dos 31 Dias.

Este novo livro surge em consequência das muitas alterações no mundo da nutrição e é uma mudança natural na dieta. A base mantém-se: o pão ao pequeno-almoço, o dia da asneira uma vez por semana, durante o qual pode comer aquilo que desejar, a perda de 3 a 5 quilos, se for mulher, e 5 a 8, se for homem, a proibição dos hidratos de carbono durante 31 dias, mas foram adicionados novos alimentos como quinoa, óleo de coco, sementes de chia ou tapioca e introduzida a permissão para comer desde o início da dieta, uma peça de fruta e uma dose de frutos secos por dia, que ajuda a acalmar a ansiedade. Com estas alterações foram retirados outros que a autora percebeu não serem os mais indicados.

A Nova Dieta dos 31 Dias é uma edição Esfera dos Livros - 224 pp | 17,00€

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Novidade: O Silêncio das Filhas, de Jennie Melamed

Sou uma fácil, no que aos livros diz respeito! Mostrem-me uma frase bonita dita por alguém influente a dizer bem, e meto na minha lista. Se eu comprasse todos os livros que me apetece... neste momento, estaria a viver na rua. 

Caiu-me nas mãos a informação deste: O Silêncio das Filhas, de Jennie Melamed. E o que tem este livro de especial?? Basta ler o seguinte: 

«Uma obra que partilha o mesmo ADN de Nunca me Deixes, de Kazuo Ishiguro, e de The Handmaid's Tale, de Margaret Atwood.» - New York Times Book Review

«Uma estreia assustadora e confiante… Uma distopia provocante e de leitura compulsiva sobre um patriarcado fora do controlo — o ideal para o aguentar até à próxima temporada de The Handmaid’s Tale.» - People

Tal como disse antes: fácil. Bastou ter uma referência (duas, neste caso) ao Handmaid's Tale, o último livro que li, e já estou a babar.

Sinopse:
Basta uma pergunta inocente. E nada será igual para estas raparigas.
Vanessa, Amanda, Caitlin e Janey vivem numa ilha. Não sabem em que região do mundo nem em que ano estão, mas aprenderam que a vida lá é uma bênção comparada à das temidas Terras Devastadas — onde reina a doença e a podridão. Aquele era um lugar tão negro que os seus dez antepassados decidiram debandar e fundar uma nova sociedade com novas regras.

Neste mundo, as mulheres e as suas filhas levam uma vida austera e controlada pelos patriarcas. O destino não lhes pertence. Apenas no verão, e enquanto crianças, é que elas são livres. Assim que a puberdade desperta, tornam-se esposas em treino nas mãos dos pais, dos maridos e dos seus governantes. Logo que deixam de ser úteis, são imediatamente descartadas, segundo os rituais da ilha.

Todas as mulheres cumprem as regras. Até que um dia, a pequena Caitlin assiste a algo tão chocante que não consegue guardar silêncio sobre o que sente. Ela conta às outras. A palavra espalha-se. A redoma quebra-se. E então, uma pergunta paira-lhes na cabeça: será o destino delas assim tão inevitável?

Sobre a autora:
Jennie Melamed, norte-americana, é autora e enfermeira psiquiátrica. Durante o seu doutoramento, investigou os aspetos antropológicos, biológicos e culturais do abuso de crianças.

O Silêncio das Filhas é uma edição Topseller (368 pp. | 18,79€) e as primeiras páginas estão disponíveis para leitura imediata aqui.

terça-feira, 28 de novembro de 2017

Sugestões de Natal: para os apreciadores do romance, da paixão e do amor

RENDIDA A NÓS, de Lisa Renee Jones

Sinopse:
Será a vida capaz de extinguir a mais luminosa das paixões?
Chris e Sara já se conhecem. Já passaram por muita coisa juntos. A sua relação já teve tantos altos e baixos que quase foi destruída, mas encontraram sempre maneira de acabar nos braços um do outro.

Ainda assim, há muitos segredos no passado de Chris que estão por revelar. Qual será o significado da sua tatuagem? Porque é que Chris fala com tanta melancolia da pessoa que a fez?

Determinada a finalmente entender até os lados mais negros da personalidade do homem que ama, Sara decide apanhar o avião com ele para Paris. Deixa para trás toda a sua vida, tudo o que ainda era unicamente seu, e prepara-se para construir algo partilhado. Mas será que Chris está a ser inteiramente sincero?

Quanto mais Sara descobre sobre Chris, mais se apercebe do que ele ainda esconde.

Sobre a autora:
Lisa Renee Jones é uma autora norte-americana com vários livros publicados em géneros tão diferentes como o fantástico e o erótico. Rendida a Nós é o seu terceiro romance na Topseller, depois de Escondida em Ti e Perdida em Mim.
Antes de se dedicar a tempo inteiro à escrita, dedicava-se ao empreendedorismo, chegando a dirigir uma empresa de recrutamento com sucursais em vários estados americanos. Com o seu marido, Diego, dedicou-se ainda à compra e venda de espaços de armazenamento, experiência essa que inspirou a história de Sara.

Rendida a Nós é uma edição Topseller - 272 pp.| 16,59€

***

ANTES QUE SEJA TARDE, de Margarida Rebelo Pinto
Um romance provocador sobre o adultério, o descompasso do amor, a tentação do fruto proibido.

Sinopse:
Neste novo livro de Margarida Rebelo Pinto encontramos três mulheres de gerações diferentes, desde os anos 60 até aos dias de hoje, com vidas sentimentais atribuladas e algo em comum: a atração pelo proibido.

Antes que seja tarde é um romance sobre o lado mais selvagem do amor, quando a paixão manda mais do que a razão e os sentidos falam mais alto. Os amores proibidos nunca caem na rotina, mas serão o caminho certo para o verdadeiro amor? O que fazer quando não se pode construir uma vida com quem se ama?

O destino cruzado destas 3 mulheres leva-nos a uma viagem alucinante sobre o lado obscuro das relações, onde a mentira, a traição e o adultério andam a par com a dignidade de uma grande história de amor.

Antes Que Seja Tarde é uma edição Clube do Autor - 272 pp | 15,50€

***

DOÇURA NO TEU OLHAR, de Luísa da Silva Diniz

Sinopse: 
Sara Perdigão é a Directora Financeira da MOVE, a empresa de moda que mantém com as suas amigas de infância. Aparentemente, o trabalho e os amigos são o que basta para a fazer feliz, mas nem tudo é o que parece. Miguel Andrade é o Director Financeiro da StarCom, empresa da qual é sócio juntamente com os seus amigos, que conhece desde os tempos da universidade. O que ambos têm em comum? A profissão e a amizade que dura desde que João Santos, amigo de Sara e Miguel, os apresentou, há vários anos atrás. No entanto, Miguel quer muito mais do que a amizade de Sara e, por isso, ao longo dos anos tem tentado conquistá-la com o seu charme e sorriso arrebatador, mas ela foge-lhe sem que ele entenda porquê.

Será Miguel capaz de quebrar essa resistência de Sara e conquistá-la? E o que acontecerá quando o passado recente dela voltar para a atormentar? No meio desta luta de Miguel para a ter para si, um problema grave ocorre na MOVE e tudo o que Sara e as amigas construíram pode perder-se. Quem a poderá salvar de todos os seus fantasmas e problemas? Será que a resposta para os seus problemas sempre esteve ali debaixo do seu nariz? Mais uma história recheada de sentimentos profundos e verdadeiros que nos mostra o poder do Amor.

Sobre a autora:
Luísa Emília de Oliveira da Silva Diniz, nasceu em Lisboa, a 5 de Fevereiro de 1970. A sua formação em Contabilidade- Gestão de Empresas e Auditoria-Revisão de Contas leva-a a desenvolver a sua actividade profissional na área financeira e contabilística. 
Nos tempos livres, a sua paixão por livros leva-a a ler compulsivamente. Depois de tanto ler, teve vontade de experimentar a escrita, o que deu origem ao seu primeiro romance “Reencontro com O Amor”, através do qual, espera partilhar com os leitores o mesmo prazer que obtém com os livros que lê. Esta paixão aumenta a cada dia, o que originou o segundo romance, “Doçura no teu olhar”, o segundo volume da série MOVE, que chega agora àqueles que que gostaram do primeiro volume e que ansiosamente esperam por uma nova história.

Doçura no Teu Olhar é uma edição Chiado Editora - 444pp | 16,00€


segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Sugestões de Natal - as listas

Estamos, oficialmente, a menos de um mês do Natal. E ando meio doente - nada de grave! Apenas uma crisezita de sinusite. Portanto, e apesar de me apetecer ler, não tenho sido capaz. Sim, fisicamente não consigo ler: é todo um peso na testa e olhos, olhos lacrimejantes, espirros atrás de espirros, sem esquecer de limpar o nariz a cada 35 segundos... enfim, um lindo retrato!

Decidi, por isso, pegar em alguns dos muitos emails que recebo diariamente das editoras e fazer algumas sugestões de prendas de Natal. Alguns dos lançamentos mais recentes podem eventualmente passar despercebidos, então quis recuperá-los e apresentar-vos as minhas listas de presentes literários.

Vou apresentar, para já, estas listas dos seguintes temas: infanto-juvenil, romance, cozinha e culinária. Vou acrescentando livros e acrescentando temáticas, e o meu objetivo é chegar antes do Natal e saber que, pelo menos, uma pessoa seguiu uma destas sugestões e não se sentiu defraudada.

Sintam-se à vontade para mandar um email para capamole@gmail.com e dizer: "Comprei o livro XPTO, porque estava recomendado e gostei... ou a minha prima/mãe/avó/filha/amiga do peito gostou" - ou primo/pai/avô/filho/amigo do peito, que eu cá não sou sexista!

A primeira sai amanhã, prometo!

Novidade: O Desejo e Outros Demónios, de António Bizarro

Depois de "O longo caminho do regresso" (agora publicado em formato físico, depois de uma primeira edição em e-book) e de "O motor do caos e da destruição", António Bizarro encerra a trilogia Cidade da Indústria com "O Desejo e Outros Demónios".



Sobre o livro: 
Um escritor oferece a derradeira prova de amor à sua amada. Um grupo de crianças reencena inconscientemente O Senhor das Moscas. Um marido traído propõe-se a reconquistar a esposa adúltera. Tony Dornbusch recorda uma visita guiada ao Instituto MacLaren na companhia de um velho amigo. Um homem começa a ver o mundo a desaparecer à sua volta. Uma aparição leva um escritor a percorrer as ruas de Saint Paul em busca do passado. Duas mulheres partilham o mesmo destino sem nunca se terem conhecido, ficando ligadas para sempre na memória colectiva dos habitantes de Saint Paul. Numa cidade distópica e pós-apocalíptica, os criminosos são obrigados a confrontar as famílias das vítimas, num exercício extremo de justiça restaurativa. Um homem transforma-se no objecto de desejo do seu objecto de desejo. Excertos do diário de Tony Dornbusch revelam aspectos da sua relação estranha com uma enfermeira e a sua mãe.

Sobre o autor:
António Bizarro nasceu em 1978, na cidade de São Paulo, e cresceu no Barreiro. Em 2006 integrou o split-CD Seek And Thistroy!, da Thisco Records, que incluía o seu projecto de música electrónica City of Industry e as bandas Devhour e Tatsumaki. Em 2010 editou o seu primeiro livro, Siamese Dream. 
Em 2015 lançou o seu primeiro álbum em nome próprio, Opus I: Dark Room, disponível para download em https://soundcloud/antoniobizarro, e o livro Fragmentos – Tony Dornbusch, através do seu blog Android:Apocalypse. 
Em 2016 publicou o seu terceiro livro, O Longo Caminho de Regresso, através da editora Coolbooks, e disponibilizou no blog o livro Novos Fragmentos – Tony Dornbusch; no mesmo ano, lançou o seu segundo álbum, Opus II: Sacred Parts, bem como os Volumes I, II e III da compilação City of Industry. 
Em 2017 lançou o livro O Motor do Caos e da Destruição, novamente sob a chancela da Coolbooks, e o quarto e o quinto volumes da compilação City of Industry.

domingo, 26 de novembro de 2017

sábado, 25 de novembro de 2017

A História de Uma Serva, de Margaret Atwood

Já contei aqui, por alto, aquilo que me levou a comprar o livro A História de Uma Serva. Demorei uma semana e um dia a terminar o livro, porque tive algumas paragens pelo meio.

Fez ontem uma semana, comecei a ver a série Handmaid's Tale. Vi o 1.º episódio e fiquei siderada. Sabia que era inspirado num livro e... valha-nos a Santa Wikipédia, fui pesquisar mais um pouco. A História de Uma Serva é a tradução literal do título do livro (e série), de Margaret Atwood. Li a sinopse do livro que me deixou curiosa para ver esta ideia de uma sociedade ultra-religiosa e como é que as coisas acabaram assim. Mais uma pesquisa, encontrei a edição em português pela Europa-América. Infelizmente, esta editora parece ter dado os últimos suspiros de vida e só dias mais tarde me responderam a dizer que não estava disponível.
Mas, tinha procurando, e a Bertrand também teria. Fui ao Fórum Sintra e consegui trazer o único exemplar daquela loja. SORTEEE...

Comecei a ler, imediatamente. E nesse fim-de-semana, ultrapassei o meio do livro. Que história, senhores, que história.

Margaret Atwood descreve-nos um futuro alternativo em que há, pelas mais várias razões, um declínio enorme na natalidade. Homens e mulheres ficam estéreis e só uma percentagem muito baixa de mulheres consegue conceber. Um grupo extremista, ultra-religioso, nos Estados Unidos, consegue derrubar o Governo, queima a Constituição e cria o Estado de Gileade. As mulheres férteis são Servas, e são obrigadas a conceber para as famílias de elite.

A nossa protagonista, Defred (Offred, na série) é June, uma mulher de 33 anos, com uma filha (que lhe foi literalmente arrancada dos braços, aos 5 anos) é uma dessas Servas e é pelos olhos dela que conhecemos os ritos e as rotinas que envolvem as Servas.

Às Servas tudo é proibido: não podem ler, não podem socializar e o seu único valor é, literalmente, conceber. A Cerimónia - o ritual em que o dono de Defred... nem consigo encontrar uma expressão condizente, palavra de honra!... ele não a viola, não faz amor, aquilo nem sequer é fazer sexo - é apenas um momento de "cópula", com o intuito de engravidar... é por demais!

O final é aberto. São 331 páginas (mais 14 páginas) de uma história perturbadora, claustrofóbica e depois chegamos ali, àquele final, apesar de ser desolador não sabermos o futuro de Defred/June, não ficamos insatisfeitos. A "explicação" fica salvaguardada nas tais 14 páginas-"extra".

Aconselho vivamente!

Novidade: O Diabo, o Relojoeiro e a Máquina dos Sacrifícios, de Michael Marshall Smith

Autor vencedor do Phillip K. Dick Award e quatro vezes do British Fantasy Award, Michael Marshall Smith tornou-se no autor com mais nomeações até ao momento.
O Diabo, o Relojoeiro e a Máquina dos Sacrifícios é uma obra com tom mordaz e irónico, num estilo semelhante à série Lemony Snicket.

Sinopse:
Imagine, caro leitor, a oficina de um relojoeiro.

Imagine ainda que esta história se passa num mundo banal e que o relojoeiro é, também ele, um homem normal… com um talento extraordinário.
Até ao dia em que alguém entra na oficina com o mais invulgar dos pe
didos: uma máquina para converter a maldade do mundo em energia.

Quem (pergunta-se o leitor) quererá esta bizarra extravagância? Ora, ninguém mais do que o próprio Diabo… Que, como se sabe, tem formas muito persuasivas de obter o que deseja.
Passaram-se séculos, e o Diabo e a sua máquina estão a ter problemas. É então que, acidentalmente (embora se suspeite de uma certa influência maligna), a pequena e ingénua Hannah Green é arrastada para uma tenebrosa aventura maquinada pelo Diabo.

Preste bem atenção, estimado leitor, pois aqui começará também a sua história, num mundo onde as aparências enganam e as coincidências não existem.

Sobre o autor:
Michael Marshall Smith é o pseudónimo usado por Michael Marshall, guionista inglês e autor bestseller de thrillers e literatura fantástica.
Michael Marshall Smith venceu quatro vezes os prémios atribuídos pela British Fantasy Society, tornando-se o autor com mais nomeações até ao momento, e ainda recebeu o August Derleth Award para Melhor Romance, em 1995, e o Philip K. Dick Award, em 2000.
O seu livro, The Intruders, foi adaptado para série televisiva com o mesmo nome, em 2014.

sexta-feira, 24 de novembro de 2017

Mia Couto presente na comunidade de leitores da livraria LeYa na Buchholz

A livraria LeYa na Buchholz, em Lisboa, vai voltar a ter a sua comunidade de leitores. O primeiro encontro da comunidade, que terá a designação “LeYa Connosco”, acontece já no próximo dia 28 de novembro, às 19h, e o autor convidado será o escritor moçambicano Mia Couto que participará no debate sobre a trilogia “As Areias do Imperador”, cujos livros foram sugeridos para leitura e discussão.

A comunidade será orientada e moderada pela crítica e jornalista Filipa Melo e composta por um grupo heterogéneo de pessoas que se reunirá, mensalmente, para, num ambiente informal, partilhar a experiência de leitura prévia de um livro, e para, em conjunto e com o autor, o reler em voz alta, analisar, discutir e relacionar com outras leituras paralelas e com a experiência de vida de cada um.

Em cada sessão mensal, a comunidade está aberta a novos leitores para novos livros e novos autores. Na primeira hora de cada sessão, o livro é discutido entre os membros da comunidade. Na segunda hora, o grupo recebe o autor do livro escolhido para leitura para com ele partilhar as suas impressões de leitura.

A Comunidade de Leitores LeYa Connosco será o espaço por excelência de todos aqueles que gostam de ler e conhecer pessoalmente os autores de ficção e de pensamento contemporâneos de língua portuguesa.

Orientação e moderação: Filipa Melo

Local: Livraria LeYa na Buchholz – Rua Duque de Palmela, Lisboa

Data primeira sessão: Terça, 28 de novembro, das 19h às 21h

Autor convidado: Mia Couto

Livro em discussão: O Bebedor de Horizontes, terceiro volume da trilogia moçambicana "As Areias do Imperador"

Leituras paralelas sugeridas: Mulheres de Cinza e A Espada e a Azagaia, primeiros dois volumes da trilogia

A participação na Comunidade LeYa Connosco está sujeita a reserva (inscrições limitadas) e pagamento (13 euros/sessão) prévios. Email para reservas e mais informações: leyaconnosco@gmail.com

Mais informações em www.leya.com

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Novidade: A Luz sobre as Trevas, de Allison e Owen Pataki

Um romance sobre amor, coragem e sacrifício na Revolução Francesa.

Sinopse:
Três anos após a tomada da Bastilha, as ruas de Paris fervilham com os ideais de liberdade, igualdade e fraternidade. Para assegurar os direitos recém-conquistados, o governo revolucionário empreende uma perseguição a todos os inimigos da Revolução, entre os quais se incluem os membros da aristocracia.

Estes são acusados de traição e condenados à guilhotina. Vive--se, assim, o Período do Terror da Revolução Francesa.
Movido por um sentido de dever para com a República, Jean-Luc St. Clair, um jovem advogado idealista, muda-se para Paris com a família. Aí, o seu caminho cruza-se com o de André Valière, um nobre que abdicou do seu título e se alistou no exército para evitar a execução, e o de Sophie de Vincennes, uma bela e jovem viúva aristocrática que embarca numa luta pela sua independência.

À medida que a busca incessante por justiça alimenta a sede de sangue nas ruas, Jean-Luc, André e Sophie são forçados a questionar as decisões de quem detém o poder. Conseguirão eles fazer vingar os ideais da Revolução em que tanto acreditam?

Sobre os autores:
Allison Pataki é autora bestseller do New York Times de romances históricos. Formada com distinção na Universidade de Yale, com especialização em Inglês, dedicou-se durante vários anos à escrita para televisão e agências de notícias online. É colaboradora regular do Huffington Post e da FoxNews.com, e é membro da Historical Novel Society, uma associação literária dedicada à promoção e divulgação da ficção histórica. Allison é casada e vive em Chicago.

Owen Pataki é o irmão mais novo de Allison. Formou-se em História na Universidade de Cornell, tendo posteriormente frequentado um Curso de Cinema em Londres. Entre uma formação e outra, serviu o exército americano. Atualmente, vive em Nova Iorque, onde trabalha como argumentista e realizador. A Luz sobre as Trevas é o seu primeiro romance.​

Ficha Técnica: 
Topseller
384 páginas
21,98€

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

Novidade: Uma Sequela Inconveniente – Verdade ao Poder, de Al Gore

O que mudou em 10 anos e o que temos de fazer para salvar a Terra? Al Gore regressa com "Uma Sequela Inconveniente – Verdade ao Poder"

Uma década após ter recebido o Prémio Nobel da Paz e do lançamento de "Uma Verdade Inconveniente", Al Gore regressa com "Uma Sequela Inconveniente – Verdade ao Poder", editado em Portugal pela Actual Editora, reforçando a mensagem sobre o impacto das alterações climáticas e a crise ambiental. Presenciamos fenómenos climáticos cada vez mais extremos e líderes de potências mundiais pouco sensíveis à temática ambiental: o que mudou em 10 anos e o que temos de fazer para salvar a Terra?

O antigo vice-presidente dos Estados Unidos, Al Gore, acaba de lançar o seu mais recente livro sobre as alterações climáticas: Uma Sequela Inconveniente: Verdade ao Poder. Esta obra, que dá mote também ao seu novo filme documentário, é um ousado apelo à ação, que não só descreve como o futuro da civilização se encontra ameaçado, como fornece conselhos concretos para a resolução da crise ambiental.

Na sua nova obra, Al Gore reúne investigação científica, histórias pessoais e observações ousadas para documentar a velocidade crescente e o alcance cada vez maior do aquecimento global enquanto expõe soluções agora disponíveis.

Com uma escrita clara e uma certeza revigorante, Al Gore expõe na sua nova obra alguns dos efeitos que advêm das alterações climáticas, como o aumento da temperatura da Terra, a propagação de vírus como o Zika, a agitação política e outros desastres da década passada. O Nobel da Paz refere que estes efeitos podem ser bem mais abrangentes do que pensamos, trazendo consequências desastrosas para o mundo.

Al Gore, que esteve recentemente em Lisboa como convidado da Web Summit, afirma que «temos finalmente soluções» para inverter o aquecimento global, resolvendo assim a crise climática.

Sobre o autor:
Al Gore é o cofundador e presidente da Generation Investment Management. É sócio principal da Kleiner Perkins Caufield & Byerse e membro do Conselho de Administração da Apple Inc. Passa grande parte do tempo como presidente do Climate Reality Project, uma organização sem fins lucrativos dedicada à resolução da crise climática.
Foi eleito para a Câmara dos Representantes dos EUA em 1976, 1978, 1980 e 1982 e para o Senado norte-americano em 1984 e 1990. Foi empossado 45º vice-presidente dos Estados Unidos a 20 de janeiro de 1993, tendo servido oito anos. É autor dos bestsellers A Terra em Equilíbrio, Uma Verdade Inconveniente, O Ataque à Razão, A Nossa Escolha e, mais recentemente, O Futuro: Seis Forças que Irão Mudar o Mundo. Foi tema do documentário galardoado com o Óscar Uma Verdade Inconveniente e de um novo documentário, que estreou em julho de 2017, Uma Sequela Inconveniente: Verdade ao Poder.
Foi galardoado, juntamente com o Intergovernmental Panel on Climate Change, com o Nobel da Paz em 2007, por «informar o mundo dos perigos advenientes da alteração climática».
Gore nasceu a 31 de março de 1948 e vive em Nashville, Tennessee.

Ficha Técnica:
Actual Editora
22.90€


terça-feira, 21 de novembro de 2017

Novas aquisições

Tenho muitos livros. Sou do género de pessoa que acha que nunca tem livros a mais e que é pegada a cada um deles. Posso já nem me lembrar bem do enredo de cada um, mas, em determinado momento, fizeram parte da minha História pessoal. Cada um dos meus livros, é "eu" em algum momento. Eu escolhi-os. E eu não posso "desbaratar" parte de mim...

Isto para chegar a uma conclusão: tenho tantos livros, alguns que ainda nem abri, e eis que dou para mim... adivinhem? Exato, a comprar mais livros. Só na semana passada, foram três.

1.º A História de uma Serva, de Margaret Atwood
Tem havido um sururu enorme em torno da série "Handmaid's Tale" e comecei, na sexta-feira, a ver o 1.º episódio. Adorei. Fui saber mais informações e logo à cabeça vi que era baseada no livro com o mesmo nome. Li a sinopse e puxou-me pela curiosidade. Ao invés de ver o 2.º episódio, fui pesquisar se conseguia encontrar à venda o livro. Sim, na Bertrand.
Comprei o único exemplar que havia na Bertrand mais próxima de mim. Já ultrapassei o meio do livro.

2.º Os Irmãos Karamázov, de Fiódor Dostoievski
Há poucos meses, em Cascais, esta obra foi levada à cena por Carlos Avillez no Teatro Experimental de Cascais. Entrevistei este encenador, e claro que tive de me "mexer" para conhecer o mínimo essencial para a conversa. Fiquei apaixonada pela história e, este fim-de-semana, ao entrar na FNAC, ali estava ele, com 50% de desconto. Agarrei-o e só o larguei na caixa para pegar na carteira e pagar à senhora.

3.º Ana Karenina, de Tolstoi
Ok, ok, estou a parecer armada ao pingarelho com mais um clássico russo. Mas este era um livro que queria há muito. Na mesma altura em que andava com "Os Irmãos Karamázov" agarradinhos a mim, procurei a Karenina, não fosse a "bichinha" também estar em promoção. Encontrei um exemplar da Civilização Editora, a um preço "ridículo" (11€). E claro, que também veio viver cá para casa.

E foram estes os meus luxos da semana.

segunda-feira, 20 de novembro de 2017

Novidade: O Sétimo Mandamento, de Tom Fox

O novo livro de Tom Fox - O Sétimo Mandamento - já se encontra nas livrarias. Depois da publicação do sucesso Dominus (publicado, no ano passado, pela TopSeller), Tom Fox oferece uma nova perspetiva sobre o conceito da fé e da natureza dos milagres, que agradará muito aos leitores.


Sinopse:
Serão todas as profecias verdadeiras?

Durante uma escavação arqueológica realizada no centro de Roma, é encontrada uma antiga tábua de argila com sete profecias inscritas em acádio, uma língua há muito extinta. A primeira profecia previa que aquele que encontrasse a tábua morreria de forma funesta e célere. E assim acontece. Quando, uma a uma, as profecias se vão realizando, o pânico e o caos instalam-se na cidade.

O relógio não para.

Numa corrida contra o tempo, em que cada segredo esconde uma mentira, e em que estranhos versos de uma tábua antiga parecem conter as respostas, cabe a Angelina Calla, especialista em acádio, e a Ben Vordyx, dos Arquivos Secretos do Vaticano, descobrir o que está por detrás desta maldição.

Será tudo isto real?

Sobre o autor:
Tom Fox é um conhecedor profundo dos meandros do Cristianismo, resultado de muitos anos de estudos académicos.
Sendo uma autoridade respeitada no assunto, Tom Fox dedicou-se recentemente à exploração de novas histórias, que se destacam devido à sua dimensão misteriosa.

Ficha Técnica:
Editora TopSeller
400 páginas
17,69€

Novo livro de Gonçalo Cadilhe

Gonçalo Cadilhe e viagens são duas realidades inseparáveis. E, apressem-se, fãs de Cadilhe: o Esplendor do Mundo chega quarta-feira (dia 22) às livrarias de todo o país.

Do nascer-do-sol nas dunas da Namíbia ao entardecer nas Cinque Terre, da descida do rio Mekong em balsa à travessia do Pacífico num cargueiro, ou dos Templos de Tikal ao exército de terracota de Xian, Gonçalo Cadilhe seleciona nestas páginas 99 destinos que o leitor devia conhecer, mesmo aqueles que nunca irá querer visitar.




domingo, 19 de novembro de 2017

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Estamos no TWITTER

Pois é, decidi criar a página Capa Mole & Companhia no Twitter. Bem sei que no Facebook talvez tivesse mais visibilidade, mas uma coisa de cada vez e optei pela rede social do passarinho azul.

Sigam em https://twitter.com/CapaMole e serão crianças muito mais felizes, até porque algumas das coisas que coloco por lá, não aparecem no blogue, para não sobrecarregar a minha audiência.

Ainda tenho pouquinhos seguidores, mas com amor e carinho, iremos crescer!


quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Novidade: O Bebedor de Horizontes, de Mia Couto

A apresentação deste livro teve lugar na Sala do Arquivo da Câmara Municipal de Lisboa, 
no passado dia 9 de novembro.

Esta novidade da Caminho faz parte da trilogia As Areias do Imperador, constituída pelos livros Mulheres de Cinza (livro um) e A Espada e a Azagaia (livro dois)

Neste último volume da trilogia, os prisioneiros embar­cam no cais de Zimakaze e a lancha parte em direção ao posto de Languene. Ali farão uma breve paragem para depois rumarem para o estuário do Limpopo e ali darem início à viagem marítima que conduzirá os africanos para um distante e eterno exílio.

Sobre o autor:
Mia Couto é largamente traduzido e galardoado: Prémio Vergílio Ferreira 1999; Prémio União Latina de Literaturas Românicas 2007. Ainda em 2007 Mia foi distinguido com o Prémio Passo Fundo Zaffari & Bourbon de Literatura pelo seu romance O Outro Pé da Sereia. Jesusalém foi considerado um dos 20 livros de ficção mais importantes da rentrée literária francesa por um júri da estação radiofónica France Culture e da revista Télérama. Em 2011 venceu o Prémio Eduardo Lourenço, Em 2013 foi galardoado com o Prémio Camões e com o prémio norte-americano Neustadt.

Ficha técnica:
PVP: 18,80 euros 
(16,92 euros no site http://www.leyaonline.com, numa promoção de 10% até 07/02/2018)
384 páginas
ISBN: 9789722128889

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Nas livrarias: 1147 A Conquista de Lisboa, de Miguel Gomes Martins

A apresentação deste livro decorreu na FNAC do Chiado, tendo sido apresentado por José Varandas, professor auxiliar da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, sub-diretor do Centro de História e coordenador do curso de Mestrado em História Militar. 

Sobre o livro:
No início de julho de 1147, auxiliado pelos Cruzados, D. Afonso Henriques deu início à tomada de Lisboa aos muçulmanos. A empreitada, que ficou conhecida como A Conquista de Lisboa ou o Cerco de Lisboa, levou 3 meses e terminou em outubro do mesmo ano, passam agora 870 anos.

Ao recorrer ao testemunho de múltiplas fontes portuguesas e estrangeiras que até hoje têm sido pouco utilizadas, o historiador Miguel Gomes Martins - autor dos livros De Ourique a Aljubarrota, Guerreiros Medievais Portugueses e Guerreiros de Pedra - apresenta uma nova perspetiva sobre este episódio algo esquecido pela historiografia das últimas décadas.

Com base em novas informações sobre a História Militar da Idade Média, a Lisboa muçulmana e a História da Cruzada, o autor reconstitui, de uma forma rigorosa e eloquente, este acontecimento decisivo na nossa história e na construção do país que somos hoje.

Sobre o autor:
Miguel Gomes Martins nasceu em Lisboa em Fevereiro de 1965. É licenciado em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e é mestre e doutor em História da Idade Média pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra, grau que obteve com a dissertação intitulada Para Bellum. Organização e Prática da Guerra em Portugal durante a Idade Média - 1245-1367 (Prémio Defesa Nacional – 2009). 
É autor de diversos trabalhos de História Militar Medieval (entre monografias, artigos e actas de congressos), de entre os quais se destacam os livros Lisboa e a Guerra (1367-1411); A Vitória do Quarto Cavaleiro – O Cerco de Lisboa de 1384; A Alcaidaria e os Alcaides de Lisboa (1147-1433); As Cicatrizes da Guerra no Espaço Fronteiriço Português (1250-1450), em co-autoria com João Gouveia Monteiro (Prémio Cunha Serra, da Academia Portuguesa de História – 2011); De Ourique a Aljubarrota – A Guerra na Idade Média; Guerreiros Medievais Portugueses-De Geraldo Sem-Pavor ao Conde de Avranches; A Arte da Guerra em Portugal - 1245 a 1367 (Prémio Augusto Botelho da Costa Veiga - 2014);Guerreiros de Pedra. Castelos, Muralhas e Guerra de Cerco em Portugal na Idade Média (Prémio Augusto Botelho da Costa Veiga, da Academia Portuguesa da História - 2016). 
É técnico superior do Gabinete de Estudos Olisiponenses, colaborador do Centro de Estudos da História da Sociedade e da Cultura da Universidade de Coimbra e investigador integrado do Instituto de Estudos Medievais, da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova, onde lecciona a cadeira opcional de História da Guerra na Idade Média.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

Novidade: A Terceira Voz, de Cilla e Rolf Börjlind

Sinopse:
Um homem enforcado, uma mulher brutalmente assassinada, um denominador comum.

Após ter descoberto uma verdade perturbadora e violenta sobre o seu passado, Olivia Rönning decide adiar o que poderia ser uma promissora carreira na Polícia. É então que o pai da sua amiga Sandra Sahlmann, um funcionário da alfândega em Estocolmo, aparece enforcado em casa.

À primeira vista, tudo aponta para suicídio. Olivia, porém, sente que algo não bate certo. Ela sabe que não se deve envolver, mas o caso torna-se demasiado pessoal.

Em simultâneo, uma mulher é brutalmente assassinada em Marselha, França. Trata-se de Samira Villon, uma ex-artista de circo cega que fazia filmes pornográficos para sobreviver. Sem saber o que o espera, Tom Stilton, um ex-inspetor da Polícia com quem Olivia colaborou no passado, é arrastado para este caso.

Duas mortes aparentemente desligadas entre si juntam novamente Olivia Rönning e Tom Stilton numa investigação de contornos surpreendentes. Conseguirão eles resolver ambos os casos e impedir que mais pessoas tenham destinos trágicos?

Sobre os autores:
Cilla e Rolf Börjlind são um casal de autores bestsellers suecos, cujas obras retratam uma sociedade repleta de conflitos sociais.
Figuram entre os argumentistas mais aclamados da Suécia, sendo autores de 26 guiões de policiais e thrillers para cinema e televisão.
Maré Viva, o primeiro thriller dos autores que a Topseller lançou, recebeu arrebatados elogios por parte da crítica, tendo os seus direitos sido vendidos para 30 países.
A Topseller orgulha-se agora de dar a conhecer aos leitores portugueses A Terceira Voz, o thriller seguinte desta dupla maior da literatura escandinava.

Ficha Técnica:
​Edição Topseller
19,99€ 
448 páginas​


segunda-feira, 13 de novembro de 2017

A Cicatriz do Mal, de Pierre Lemaitre

"Não conhecemos mais de uma centésima parte do que nos acontece. 
Não sabemos que pequena parte de céu paga todo este inferno"
William Gaddis, The Recognitions
(frase que antecede o início da ação do livro)


aqui tinha falado deste livro - A Cicatriz do Mal, de Pierre Lemaitre - na altura do seu lançamento. E agora tive a hipótese de o ler. Com algumas (MUITAS!) interrupções pelo meio, porque um certo cavalheiro de 4 anos não gosta de ver a mãe a ler tranquilamente, demorei mais de uma semana a terminá-lo...

A Cicatriz do Mal é a conclusão da trilogia que envolve o comissário Camille Verhœven,  comandante da Brigada Criminal francesa. Neste livro, vemos a história de Camille, após os eventos de "Irène" e "Alex", os primeiros livros desta série".

A Cicatriz do Mal é o meu género de livro: thriller/policial negro, com um protagonista que não é um herói... será, aliás, muito mais um anti-herói. Não é o polícia bonito e sexy que derrete corações enquanto resolve crimes, mas sim um policial com 1,45 metro, viúvo, pouco social, que pouco segue as regras...

Neste livro - que aviso já: não é para meninos! - começamos imediatamente com um resumo daquilo que vai acontecer: a mulher que Camille ama vai ser atingida por três tiros de espingarda de repetição, exatamente no dia em que é o funeral do seu melhor amigo. Após o luto, Camille consegue superar a perda da mulher e envolve-se com Anne Forestier, "uma mulher luminosa": "delicadamente morena, um belo olhar verde-claro, um sorriso estonteante quanto baste...".
Durante um dia normal, Anne, simplesmente, está no sítio errado, na hora errada, quando dá de caras com um trio de assaltantes, à entrada de umas galerias comerciais. Violentamente espancada e atingida a tiro, Anne, por milagre, sobrevive e é transportada para o hospital.

Camille, saltando etapas, consegue que este caso lhe seja entregue, nunca revelando a relação que o liga a esta vítima que ele finge não conhecer - este namoro é recente e praticamente secreto. Inclusivamente, mente aos seus superiores de forma a manter-se na investigação.

Anne continua a ser perseguida: no hospital e no refúgio para onde Camille a leva.

Mas quem é esta mulher? Porquê esta fixação por Anne? O que não está a ser bem explicado? Quem é a verdadeira vítima de todo este cenário?

São estas perguntas - sem resposta aparente - que queremos ver respondidas. O mais depressa possível.
O livro está muito bem construído. Vemos a ação sob a perspetiva de Camille e do assaltante, durante as várias horas de 3/4 dias consecutivos... o tempo que vai desde o assalto até à conclusão do caso.


Novidade: Os Meninos da Estrela Amarela, de Mario Escobar

Cada geração conserva a esperança de que o mundo volte a começar de novo.

Sinopse:

Jacob e Moisés Stein vivem com a sua tia Judith em Paris até que, em agosto de 1942, começa a grande rusga contra os judeus estrangeiros.

Os seus pais, uns conhecidos dramaturgos alemães, esconderam-se na França Livre, mas, antes que a sua tia consiga enviá-los para o sul, os gendarmes detêm-nos e levam-nos para o Velódromo de Inverno, onde mais de quatro mil crianças, cinco mil mulheres e três mil homens tiveram de subsistir sem comida e sem água durante cinco dias. Jacob e Moisés conseguem fugir antes de serem enviados de comboio para o Campo de Drancy. Quando chegam à sua casa, em Paris, a tia tinha desaparecido. Decidem viajar sozinhos para Valence, para procurar os pais, mas o caminho não será nada seguro nem fácil.

Sobre o autor:
Mario Escobar, romancista, historiador e colaborador habitual da National Geographic Historia, dedicou toda a sua vida à investigação dos grandes conflitos humanos. Os seus livros foram traduzidos para mais de doze línguas, convertendo-se em best sellers em países como os Estados Unidos, Brasil, China, Rússia, Itália, México e Japão, e é o autor mais vendido em formato digital, em espanhol, na Amazon. Os meninos da estrela amarela é o seu segundo romance publicado pela HarperCollins Ibérica, depois do grande êxito alcançado com Canção de embalar de Auschwitz.

Ficha Técnica:
Harper Collins
16,90 €
368 páginas

domingo, 12 de novembro de 2017

Novidade: Matar o Salazar, de António Araújo

A história de um atentado falhado

Sinopse:
4 de Julho de 1937: António de Oliveira Salazar sai da sua viatura oficial para assistir à missa de domingo, celebrada numa capela particular de Lisboa. Subitamente, é detonada uma bomba de grande potência, que estilhaça janelas de prédios vizinhos e levanta tampas de esgoto na rua, mas deixa incólume o chefe do Governo.

Matar o Salazar regressa a esse momento histórico e vai além da explosão nas Avenidas Novas de Lisboa, relatando os acontecimentos a par e passo, e descrevendo o ambiente da época: as manobras da propaganda para reforçar a imagem providencial do ditador e o consequente endurecimento do regime perante as ameaças vindas da Guerra Civil espanhola; a desastrada investigação da PVDE, que capturou inocentes; um processo complexo que expôs, como nunca antes, as rivalidades entre as polícias do Estado Novo; as consequências para os anarquistas e a eterna luta destes com os comunistas; os contrastes entre uma Lisboa burguesa e uma Lisboa popular.

O historiador António Araújo descreve neste livro o atentado à bomba contra Salazar, que expôs as fragilidades mas também a força do Estado Novo e as tensões existentes no país

Sobre o autor:
António Araújo (Lisboa, 1966) é mestre em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa e doutor em História Contemporânea, com uma tese sobre o caso da Capela do Rato. É autor de vários artigos e livros sobre história política, ciência política e direito constitucional, sendo os mais recentes Da Direita à Esquerda — Cultura e sociedade em Portugal, dos anos 80 à actualidade (2016) e Consciência de Situação. Um ensaio sobre The Falling Man (2017). É editor do blogue Malomil.

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Novidade: Mal Me Quer, de M. J. Arlidge

Dois crimes num espaço de duas horas são o ponto de partida de uma nova aventura para a detetive Helen Grace, que terá 24 horas para resolver um quebra-cabeças mortal.

«Sinistro e de leitura compulsiva.»
The Times

Sinopse:
MAL ME QUER
O corpo sem vida de uma mulher é encontrado no meio da estrada. À primeira vista parece tratar-se de um acidente trágico, mas quando a inspetora Helen Grace chega ao local do crime, torna-se claro para ela que a mulher foi vítima de um assassínio a sangue-frio sem razão aparente.

BEM ME QUER
Duas horas depois, do outro lado da cidade, um empregado de loja é morto, enquanto os seus clientes escapam ilesos.

MAL ME QUER
Ao longo do dia, a cidade de Southampton viverá um clima de terror às mãos de dois jovens assassinos, que parecem matar ao calhas.

BEM ME QUER
Para a inspetora Helen Grace, este dia vai tornar-se uma corrida contra o tempo. Quem vive? Quem morre? Quem será o próximo? O relógio não para…
Se Helen não conseguir resolver este quebra-cabeças mortal, mais sangue será derramado. E, se cometer algum erro, poderá muito bem ser o dela…

Sobre o autor:
M. J. Arlidge trabalha em televisão há 15 anos, tendo-se especializado em produções dramáticas de alta qualidade. Nos últimos anos produziu um grande número de séries criminais passadas em horário nobre na ITV, rede de televisão do Reino Unido.
Escreveu uma nova série policial para a BBC, além de estar a criar novas séries para canais de televisão britânicos e americanos.
Os seus livros anteriores — Um, Dó, Li, Tá, À Morte Ninguém Escapa, A Casa de Bonecas, A Vingança Serve-se Quente, Na Boca do Lobo e O Anjo da Morte — também publicados pela Topseller, foram êxitos de vendas internacionais.

Ficha Técnica
Mal Me Quer
Edição Topseller
17,69€
320 páginas

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Novidade: Gun Games, de Faye Kellerman

"Esta nova entrega de uma história de Decker/Lazarus mostra-nos que Kellerman está em forma, abordando um tema tão atual como o bullying através de uma intriga tão veloz que conquistará todos os leitores."
Booklist

Sinopse:
O inspetor-coordenador do Departamento da Polícia de Los Angeles, Decker e a esposa, Rina, acolheram na sua casa Gabriel Whitman, um adolescente de quinze anos, filho de uma amiga com problemas.

Embora o enigmático rapaz pareça estar a adaptar-se, Decker conhece bem os segredos que guardam os adolescentes, como confirma o trágico suicídio de outro adolescente, Gregory Hesse, um estudante do Bell and Wakefield, um dos colégios mais exclusivos da cidade. 

Wendy, a mãe de Gregory, nega-se a acreditar que o filho tenha dado um tiro nele próprio e convence Decker para que investigue mais. O que ele descobre inquieta-o. A pistola utilizada na tragédia era roubada, prova que o impulsiona a abrir uma investigação mais aprofundada. Mas o caso complica-se com o suicídio de outro estudante do Bell and Wakefield, uma morte que os leva a descobrir um desagradável grupo de estudantes ricos e privilegiados com um gosto excessivo pelas armas e a violência. 

Decker pensava que entendia os jovens e, no entanto, quanto mais se aproximam da verdade, a sua equipa e ele, mais se apercebe do pouco que sabe sobre eles, inclusive sobre o rapaz que tem a seu cargo, Gabe. Filho de um mafioso e de uma mãe ausente, o rapaz levou uma vida com demasiado tempo livre, demasiadas ausências injustificadas e muito pouca supervisão adulta.

Antes de terminar, o caso e as suas terroríficas repercussões levarão Decker e os seus inspetores por um caminho escuro de lealdades retorcidas e alianças infames, culminando num vertiginoso ponto de não retorno.

Ficha Técnica:
Harper Collins
17,70 €
416 páginas

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

Novidades de novembro da editora Clube do Autor


De Tom Bissel, jornalista, crítico e autor de várias obras de ficção, distinguido com o Rome Prize da Academia Americana em Roma, Apóstolos é uma viagem profunda e reveladora às origens do cristianismo.

Mesmo sendo o cristianismo uma das maiores religiões do mundo, a verdade sobre a vida e a personalidade dos doze homens que difundiram esta fé mantém-se secreta e misteriosa, perdida entre os mitos que surgiram ao longo de dois milénios. É esta verdadeira história que Tom Bissell procura nesta obra. Quem eram realmente os discípulos? Qual o seu legado? Como nasceu a religião que hoje conhecemos como cristianismo?

Baseado numa rigorosa pesquisa sobre o Novo Testamento e a sua própria peregrinação pelos países onde supostamente se encontram os sepulcros dos Doze Apóstolos, o autor dá resposta a estas e outras perguntas. Escrito de forma empática e com uma invulgar perspicácia, Apóstolos é um livro original e esclarecedor que agradará a todos os que se interessam por religião e história.

"Um livro cativante sobre as histórias que cresceram obstinadamente à volta dos que eram mais próximos de Jesus." The Guardian

* * *

Publicado pela primeira vez em 1857, Madame Bovary, que nesta edição conta com prefácio de Clara Ferreira Alves, gerou grande polémica por causa dos temas abordados e da linguagem ousada. Viria a abrir o caminho ao romance moderno, tornando o autor, Gustave Flaubert, uma referência incontornável na história da literatura.

Ema Bovary é uma jovem bonita e requintada para os padrões provincianos da sociedade em que vive. Presa num casamento que a aborrece, aspira às grandes emoções que encontra nas páginas dos livros que lê compulsivamente. A vida, o marido e a sua imaginação não são suficientes; arranja um amante, e mais outro, mas nenhum é capaz de satisfazer os seus anseios. Revoltada com a sua vida, Ema perseguirá os seus sonhos, com consequências trágicas.

Madame Bovary é um romance atual sobre uma mulher iludida pelos livros e que tenta fugir ao tédio da realidade, do seu casamento e da sua família através de uma série de adultérios e de compras compulsivas.
* * *

A estes livros junta-se uma nova edição do romance de José Manuel Saraiva, As Lágrimas de Aquiles. Baseado nas experiências do autor na Guerra do Ultramar, o livro ficciona sobre o amor, a saudade, a guerra e as escolhas que se tornam a nossa vida. Ou que acabam com ela.

A Guerra Colonial tinha acabado há mais de 20 anos quando o ex-alferes Nuno Sarmento decide voltar à Guiné, numa busca do seu passado perdido. Nas matas onde viu morrer e foi morrendo, onde se faziam emboscadas e ataques, encontra apenas o desgosto e as lembranças mais dolorosas de uma guerra sem causa clara, em que parece que se perdeu mais do que se ganhou.

Apenas um jovem estudante da Universidade de Coimbra quando tinha sido chamado às fileiras, deixara em Portugal a esperança de um futuro melhor e um amor à espera. Ao voltar do Ultramar, o amor já não esperava e ele próprio já não era o mesmo. Só tinha encontrado esquecimento, desilusão e a insistente dúvida sobre se tudo teria valido a pena.

A guerra tinha acabado, era certo; mas, dentro dele, não existiam tréguas.