sexta-feira, 11 de abril de 2014

A Fúria dos Reis - volume II de II

Terminei ontem mais um dos livros da box "Crónicas de Gelo e Fogo": o segundo volume de "A Fúria dos Reis (o 3.º volume da obra de George R.R. Martin).

Os irmãos Stannis e Renly afiam os gumes para se defrontarem, não sem que Catelyn Stark, enviada pelo filho Robb, tente evitar o derramamento de mais sangue. O pior acontece e uma sombra misteriosa mata o mais jovem dos pretendentes ao Trono de Ferro.
E os seguidores de Renly passam para o lado do (legítimo) herdeiro do falecido rei Robert.

Arya que tentava, desesperadamente, chegar a casa, misturada num grupo de indigentes que tinha como destino a Muralha, vê-se com um problema ainda maior, e cai "na boca do lobo": em pleno quartel-general do exército dos Lannister.

Sansa continua refém do (cada vez pior) Joffrey. A mais velha dos Stark sofre às mãos do caprichoso e malvado rei, até que um "cavaleiro branco" lhe propõe que fuja. Este passa a ser o ser grande objectivo, por isso.

Tyrion Lannister tenta fazer aquilo que o sobrinho não faz: organizar, logisticamente, Porto Real que está na iminência de ser tomado pelas forças inimigas. Alianças são feitas, e os espiões aos poucos vão sendo revelados.

Jon e os outros Irmãos da Patrulha continuam no seu caminho, à procura dos patrulheiros há muito desaparecidos. 

Enquanto isso, no Leste, os dragões de Dany estão cada vez maiores e mais fortes, e suscitam a curiosidade das pessoas mais estranhas que podem (ou não) vir a ser grande aliados da princesa, que procura chegar a Porto Real e reclamar o trono e a honra dos Targaryen. 

"Deixe-se enredar na guerra dos tronos onde só importa vencer ou morrer".

Sem comentários:

Enviar um comentário