terça-feira, 13 de maio de 2014

A Tormenta de Espadas - volume II de II

Acabadinho ontem à noite. Só me vem à mente uma coisa: os desgraçados dos Stark têm uma vidinha que, coitados... ninguém merece. Se há alguém que devia receber o Oscar de "os mais azarados da História da Literatura" eram eles!

A pobre Sansa - a eterna crente, a personificação da bondade, da ingenuidade e do comportamento de uma dama - é obrigada a casar com Tyrion.
Os Lannister, antevendo que os Tyrell iriam tentar alguma manobra com a mais velha dos Stark, antecipam-se e casam-na em velocidade cruzeiro com o Duende.

Arya que estava quase-quase-quase a chegar a Correrrio, pelas mão de Beric Dondarrion, é apanhada pelo Cão de Caça, após uma tentativa de fuga.
(pelo meio tem uma conversa muito interessante com o escudeiro de Beric Dondarrion sobre a mãe de Jon Snow - que, espero, muito sinceramente, que seja uma peça-chave na história. Tenho esse feeling desde o início: a mãe de Jon Snow deverá ser importante, já que se sabe tão pouco sobre ela, mas que, volta-e-meia, se fala na senhora.)
O Cão de Caça que, anteriormente, tinha tido um encontro imediato com Lorde Beric, que agora crê no Senhor da Luz, o mesmo Deus que Stannis Baratheon segue.

Robb continua a vencer batalhas, mas a verdadeira guerra está longe de ter terminado. De momento, está a caminho das Gémeas, a convite de Walder Frey. Após o rompimento da promessa de Robb desposar uma Frey, o velho Walder exige que Edmure Tully (tio do Rei do Norte, pela parte da mãe) case com uma das filhas, imediatamente. Este acede pelo bem da aliança e dirigem-se para lá.

Jon, entretanto, que ainda estava infiltrado no exército de Mance Rayder, e apaixonado pela selvagem Ygritte, conseguiu escapar. Mesmo no finalzinho de a Tormenta de Espadas, o bastardo de Ned Stark, ferido, tenta alcançar a Muralha e avisar os Irmãos do ataque iminente dos selvagens.

Bran continua a sua jornada em busca do corvo de 3 olhos para-lá-da-Muralha, com os irmãos Meera e Jojen, e Hodor. Esta caminhada faz-me lembrar a jornada do Frodo, em O Senhor dos Anéis (ó aqui para mim toda interessada e a fazer referências à cultura-pop!).

Adiante, em Porto Real começam os preparativos para mais um casamento: Joffrey e Margaery Tyrell... de referir, que após este casamento, Tywin Lannister também já planeou casar a filha, Cersei, com o herdeiro de Jardim de Cima (Willas Tyrell - que, na série, não existe. Na adaptação televisiva, o casamento previsto é entre Cersei e Loras Tyrell, o Cavaleiro das Flores, que nos livros se juntou à Guarda Real).
De Dorne, e para se juntar à festa, acaba de chegar o Prícipe Oberyn Martell... o 3.º filho da sua Casa, mas com uma enorme sede de justiça. Esta chegada é temida por Tyrion já que Martell é, em parte, responsável pelo facto de Willas Tyrell estar incapacitado, ao mesmo tempo que culpa os Lannister pela morte da sua irmã Elia (que estava casada com um Targaryen, e que terá sido assassinada pelo Montanha - que, como se sabe, está ao serviço dos Lannister).

Quem é que se queixa do número ridículo de personagens nesta saga? Se na série há gente para xuxu, experimentem ler os livros... ficam de boca à banda.

Mais?

Ahhhh, Dany Targaryen. A Princesa da Tormenta, a Khallesi, a Mãe dos Dragões (e blábláblá de títulos...) acabou de libertar mais uma cidade, com a ajuda dos seus Imaculados, e de um aliado-supresa, Daario Naharis. Depois de Astapor, foi a vez Yunkai, mais uma cidade esclavagista.

E acho que, de coisas importantes, ficamos por aqui.

Sem comentários:

Enviar um comentário