segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

Polémico livro sobre Trump chega a Portugal em fevereiro

A Actual Editora, chancela pertencente ao Grupo Almedina, acaba de garantir os direitos para a edição portuguesa do fenómeno de vendas, Fire and Fury, da autoria de Michael Wolff. Está prevista a chegada da versão portuguesa às livrarias já em fevereiro deste ano.

Com acesso a informação privilegiada, Wolff analisa os esquemas internos da polémica presidência de Trump. O fenómeno Trump e o drama, as controvérsias e os escândalos a ele associados têm toldado as suas verdadeiras motivações e objetivos.

Com uma prosa mordaz, o autor deixa estes indivíduos a nu, apresentando as personalidades mais dramáticas, apaixonantes, incomuns e, de muitas maneiras, carismáticas que alguma vez entraram na Casa Branca desde que há memória nos principais meios de comunicação. Com base nas suas opiniões e entrevistas exclusivas, este livro explosivo desconstrói este fenómeno que, até agora, não tinha explicação.

sábado, 20 de janeiro de 2018

Novidades 20|20 Editora

Ano Novo, catálogos novos. O Grupo editorial 20|20 já divulgou as novidades do 1.º semestre do ano nas várias chancelas que detém. Como janeiro já vai a mais de meio, dou-vos um cheirinho de fevereiro e março para irem começando a poupar.



ELSINORE

Fevereiro

A Tempestade- Contos Reunidos, de Marina Perezagua
Foi através do conto que Marina Perezagua se revelou nas letras espanholas, conquistando automaticamente um singular lugar na ficção contemporânea. Esta antologia reúne contos dos livros Criaturas Abisales (2011) e Leche (2013). Nascida em Sevilha, em 1978, Marina Perezagua é autora ainda dos romances Yoro e Don Quijote de Manhattan.

Homem-Tigre, de Eka Kurniawan
Nascido na Indonésia, em 1975, e autor de romances e antologias de contos, Eka Kurniawan é uma das mais recentes e fulgurantes revelações da literatura mundial. Com a tradução inglesa das suas obras, o seu peculiar universo literário chegou a um número ainda mais vasto de leitores, num êxito acompanhado pela crítica. Homem-Tigre integrou a longlist do prestigiado Man Booker Internacional Prize, em 2016, e tem vindo a ser traduzido um pouco por todo o mundo. Trata-se do segundo romance de Eka Kurniawan, publicado na Indonésia em 2004 e com tradução inglesa em 2015. Passado numa pequena cidade costeira da Indonésia, Homem-Tigre conta a história de duas famílias. No centro do enredo está Margio, um homem comum a tantos outros, exceto no facto de esconder dentro de si um tigre branco. As intrigas e as traições entre as duas famílias vão agitar este ser mágico, rumo a um final arrebatador. Lírico, experimental, político e jocosamente escandaloso, Homem-Tigre é um dos romances mais marcantes dos últimos anos.

Março

A Dança do Rapaz Branco, de Paul Beatty
Romance de estreia de Paul Beatty, autor do consagrado O Vendido, vencedor do Man Booker Prize de 2016. Neste primeiro romance do escritor norte-americano já estão presentes os ingredientes que o têm evidenciado no contexto da Literatura de Língua Inglesa: escrita versátil, do erudito ao calão, humor subtil e inesperado, e uma atenção especial aos temas da raça e da condição afro-americana. Num passe de dança, um rapaz muda-se de Santa Monica para Los Angeles e do anonimato para a
fama. Mas como se sabe, a boa música e a boa dança não duram para sempre.

CAVALO DE FERRO

Fevereiro

A Maldição de Hill House, de Shirley Jackson
Publicado em 1959, A Maldição de Hill House é uma revisitação (e atualização) das histórias de fantasmas. De resto, nos seus contos e romances, a escritora norte-americana (1916-1965) sempre procurou ambientes e personagens assombrados.

Março

As Dezassete Pequenas Histórias, de AA. VV.
Antologia de 17 contos de autores sul-americanos, numa parceria com o Centro de Estudos Comparatistas da Universidade de Lisboa.

Os Prémios, de Julio Cortázar
Publicado originalmente em 1960, Os Prémios é o primeiro romance de Julio Cortázar e, em muitos aspetos, um verdadeiro percursor de O Jogo do Mundo – Rayuela, lançado três anos mais tarde. Tem como protagonistas os vencedores de uma lotaria que recebem como prémio uma viagem num cruzeiro sem destino conhecido. O mistério adensa-se ainda mais, a meio da viagem, quando os passageiros são informados de que houve um problema no navio e que não podem sair de uma área de segurança. Encarando o problema como um jogo, todos tentam perceber o que aconteceu, ao mesmo tempo que o passado (os pequenos dramas quotidianos) e o futuro (as ansias por cumprir) emergem com uma força incontrolável. Até agora inédito em Portugal.

TOPSELLER

Fevereiro

A Verdade sobre o Lorde Stoneville, de Sabrina Jeffries
A autora apresenta-se aos leitores nacionais. Autora bestseller norte-americana, conta com mais de 50 romances e contos publicados, 9 milhões de livros vendidos em 20 línguas. Estreia-se agora em Portugal com A Verdade sobre o Lorde Stoneville.

E, porque este é o mês dos namorados, Melissa Pimentel traz-nos uma história romântica e divertida: Procura-se Homem (sem Compromisso).

Do romance para o thriller, C.L Taylor, autora de A Fuga, regressa com Desaparecido: No Rasto de Billy, enquanto K.L. Slater, autora de A Salvo Comigo, repete presença com Sem Rasto.

Março

Da mesma equipa que trabalhou as obras A Rapariga no Comboio e Escrito na Água, de Paula Hawkins, chega a Portugal Anatomia de Um Escândalo, de Sarah Vaughan. Esta será a grande aposta da Topseller para o primeiro semestre. Elogiado pela crítica que teve previamente acesso ao texto, Vaughan oferece-nos uma perspetiva fascinante sobre as maquinações escondidas num escândalo político e sobre o conflito entre justiça e privilégio. Um romance notável arrebatador.

A Rapariga Alemã marca nova estreia em Portugal, agora de Armando Lucas Correa, jornalista espanhol multipremiado e Editor da versão espanhola da revista People. Esta é a história emocionante de duas raparigas, cujas vidas, separadas por mais de 50 anos de história, se encontram marcadas pelo peso da memória e pelo impacto de dois dos eventos mais traumáticos da história moderna: a 2.ª Guerra Mundial e o 11 de setembro.

Ainda em Março, chegam às livrarias Batman: Vigilante Noturno, da DC Icons Series, e Às Cegas: Num Mundo Enlouquecido em Quem Podes Confiar?, de Josh Malerman, ambos de literatura fantástica, e o thriller Sem Saída, de Taylor Adams.


VOGAIS

Fevereiro

Amon: O Meu Avô Poderia Ter-me Matado, de Jennifer Teege com Nikola Sellmair
Há uma infinidade de pequenas e tocantes histórias dentro da grande História da II Guerra Mundial, mas poucas tão surpreendentes como a que Jennifer Teege conta neste livro. Um dia, na Biblioteca Central de Hamburgo, Jennifer deparou-se com um livro que captou de imediato a sua atenção. Chama-se A História de vida de Monika Göth, filha do comandante do campo de concentração de A Lista de Schindler.
Era uma curiosa coincidência, já que a sua mãe também se chamava Monika e Jennifer, antes de ser adotada, também usava o apelido de Göth. Anos antes, a sua mãe, incapaz de criar a filha, dera-lhe para adoção, e um manto de silêncio caiu sobre o seu passado. Mas esse livro devolveu-lhe tudo, de uma só vez, sem filtros, nem avisos. A Monika Göth era mesmo a sua mãe. E Amon, o tenebroso comandante do campo de concentração de Cracóvia, o seu… avô. Para quem estudou em Israel, tem imensos amigos judeus e é filha de pai nigeriano (logo não totalmente ariana), foi um choque.
«O meu avô poderia ter-me matado», foi uma das suas primeiras conclusões. Mas foi também um encontro consigo mesma, com as depressões constantes da mãe, com as suas próprias recaídas. Foi, ao fim e ao cabo, uma redenção pessoal, que teve como última etapa a publicação deste poderoso relato, escrito a meias com a jornalista Nikola Sellmair.

Tudo bem aí em baixo? As respostas de um urologista às perguntas que não temos coragem de fazer, de Oliver Gralla 
Enquanto para as mulheres uma ida ao ginecologista já se tornou uma rotina, os homens ainda sentem alguma vergonha em consultar um especialista quando precisam de uma vistoria ao «andar de baixo». De modo a combater a ignorância, prevenir experiências de autocura e esquecer inibições, o Dr.Gralla aborda, num tom descontraído, assuntos como a infertilidade, a disfunção erétil, a ejaculação precoce, os níveis de testosterona e a contraceção, explicando-os de forma clara e com bases científicas. Tudo Bem aí em Baixo? não é o típico guia médico com receitas, mas sim um manual explicativo e divertido, apelando a curiosos e a todos os que ainda têm vergonha de consultar um especialista. Além de conselhos médicos, o Dr. Gralla oferece uma grande dose de humor, ao relatar uma série de episódios anedóticos passados no seu consultório. E este livro não é só para homens. Também as mulheres poderão aprender muito. Afinal, o que se passa na cabeça deles nem sempre é tão simples quanto parece.

Março

Em Busca da Memória: A Luta Contra a Doença de Alzheimer, de Joseph Jebelli
A Organização Mundial de Saúde estima que em todo o mundo existam 47,5 milhões de pessoas com demência, número que pode atingir os 75,6 milhões em 2030 e quase triplicar em 2050 para os 135,5 milhões. Em Busca da Memória, da autoria do neurocientista britânico de 31 anos Joseph Jebelli, é sobre o passado, o presente e o futuro da doença de Alzheimer. Desde o primeiro caso registado há mais de cem anos até à inovadora investigação que está em curso, numa história capaz de rivalizar com qualquer romance policial, onde os heróis são os cientistas do mundo inteiro e os corajosos pacientes e as suas famílias. Um relato em que o autor dá rostos à doença para revelar uma pandemia que demorou séculos a detetar, lembrando a todos de que nunca devemos tomar a memória — o nosso bem mais precioso — como garantida.

FÁBULA

Fevereiro

Civilização e Outros Contos, de Eça de Queirós
Também na coleção Tesouros da Literatura, uma seleção dos melhores contos de Eça de Queirós. São eles: Civilização, A Aia, O Tesouro, O Suave Milagre, Outro Amável Milagre, Singularidades de Uma Rapariga Loura, Frei Genebro, A Perfeição e José Matias. Prefácio de Maria do Rosário Pedreira.

Começa numa Semente, de Laura Knowles
Uma delicada e visualmente deslumbrante viagem pelas estações que mostra aos mais pequenos como uma única semente se transforma numa árvore grandiosa, sem esquecer todas as criaturas que fazem dela a sua casa.

Março

Sem Rede, de Margarida Fonseca Santos
Novo volume da coleção A Escolha é Minha, na qual Margarida Fonseca Santos, uma das mais destacadas escritoras da Literatura infantojuvenil, aborda os desafios que todos os jovens têm de enfrentar. O tema, agora, é como enfrentar uma situação de urgência e perigo iminente, como um grande incêndio.

Vinte Fábulas de La Fontaine
O maravilhoso mundo das fábulas de La Fontaine, com seleção e reescrita de José Jorge Letria. Volume integrado na coleção Pé de Pato

Franklin e a Livraria Voadora, de Jen Campbell
Ele é um dragão, ela gosta muito de ler. Ele assusta toda a gente, ela não tem medo de ninguém. Ele surge em muitas histórias, ela anda sempre à procura de novas. Assim são as personagens, amigos improváveis e inseparáveis, deste deslumbrante álbum ilustrado de Jean Campbell.

BOOKSMILE

Tom Gates, coleção multipremiada da autora britânica Liz Pichon, soma mais um volume - Tom Gates 9: No TOP da Turma (Quase) chega às livrarias em fevereiro.

Ultrapassados os 250 mil livros editados, a coleção O Bando das Cavernas, escrita e ilustrada pelo português Nuno Caravela, já se impôs no mercado editorial português e é já uma das favoritas das crianças entre os 6 e os 10 anos. E O Bando das Cavernas 20: O Rebelde chega às livrarias em março com uma surpresa associada: uma das personagens saltou da imaginação de uma criança, num desafio lançado nas redes sociais e escolas.
De Maria Inês de Almeida, também a coleção Simão, pensada para crianças a partir dos 4 anos, soma e segue com dois novos exemplares: Simão, o Pequeno Leão 6: O Circo Chegou! e Simão, o Pequeno Leão 7: Vamos Acampar!.

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Novidades Clube do Autor

No próximo dia 24 de Janeiro há novidades Clube do Autor a chegar às livrarias.

Para quem gosta de thrillers as notícias são podem ser melhores: o novo livro de Peter James está a ser impresso. A editora define Marcada para Morrer como "um thriller que promete dar que falar (e noites sem dormir)."

Por outro lado, quem prefere os romances também tem uma bela narrativa à sua espera. A Herdeira dos Olhos Tristes centra-se na vida de uma mulher que tinha tudo para ser feliz e na de uma jovem advogada em fuga do seu passado. Duas histórias improváveis que se cruzam, revelando um mundo assente em intrigas e mentiras e todo o esplendor da cidade de Roma.

Os leitores dizem que se trata de um romance de leitura compulsiva, um obra contemporânea tão convincente quanto fascinante. No site Goodreads há quem o classifique como um livro “inteligente, enigmático e hipnotizante sobre o poder do amor e tudo aquilo que somos capazes de fazer por ele.”

Qual é o vosso género preferido? Qual destes dois têm mais curiosidade em conhecer?




segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Leituras do últimos dias

Ena... uma semana sem aqui pôr os pés. Há algum tempo que isto não acontecia. Durante o mês de dezembro, li menos (muitooooo menos, para ser mais exata), mas li. Umas paginazinhas aqui, outras ali...

Terminei "O Último dos Nossos", Adélaïde de Clarmont-Tonnerre (por gentileza da editora Clube do Autor). Trata-se de um romance que é contado em dois períodos temporais, e em dois locais perfeitamente distintos. Começamos nos EUA, em Manhattan, em 1969, e seguimos Werner Zilch, um jovem de ambições empresariais que acaba de conhecer a mulher da sua vida. No capítulo seguinte, estamos na Alemanha, em 1945, debaixo de bombardeamentos, onde uma jovem mulher, falece, após ter dado à luz.
Antes de morrer, Luisa, pede ao médico que encontre a cunhada, Marthe e lhe entregue o recém-nascido, pedindo ainda que não mudem o nome do bebé: Werner Zilch. "É o último dos nossos", diz antes de morrer.

A autora não esconde, portanto, que o jovem empresário do 1.º capítulo é a criança nascida durante a II.ª Guerra Mundial no capítulo seguinte. E toda a trama se desenvolve. Werner recém-nascido é realmente entregue à tia que o protege até às últimas instâncias e Werner adulto enfrenta os pais de Rebecca Lynch, a bonita herdeira por quem se apaixonou.

Só mais tarde na ação, conhecemos os pormenores escabrosos do passado e que tanta influência têm nas vidas de Werner e Rebecca.

"O Último dos Nossos" é o segundo romance da jornalista e escritora Adélaïde de Clarmont-Tonnerre. Este livro venceu o Grande Prémio do Romance da Academia Francesa e foi finalista do Grande Prémio do Romance Elle.

Perfeito para ler nesta tardes chuvosas de fim-de-semana.

* * *

Enquanto terminava este, tive de dar uso ao Kindle que o meu excelso homem me ofereceu no Natal. Mandei-me aos livros gratuitos da Amazon e retirei alguns títulos que me pareceram interessantes. Nota prévia: muitos dos livros "portuguese edition" da Amazon são na verdade português do Brasil. Nada contra, já li muitos assim, é apenas uma chamada de atenção aos incautos. 

Comecei com "Razão para Matar", de Blake Pierce, o primeiro da saga da Detetive Avery Black, uma ex-advogada caída em desgraça por ter libertado um serial killer, e que se torna detetive do Departamento de Homicídios de Boston. 

Neste primeiro caso, Avery tem de encontrar um assassino que tende a matar jovens mulheres e a posicioná-las, em locais públicos, como se de um quadro se tratasse. Uma corrida contra o tempo, uma série de mal-entendidos, questões pessoais por resolver... tudo isto mostrará ao público e aos colegas a mente brilhante de Avery. Um daqueles thrillers como eu gosto!!! 


Findos estes, comecei a ler "Génesis" de Tom Fox. Este em português de Portugal. Ainda estou nas primeiras páginas, mas no Google este livro aparece com uma média de 3,8 estrelas em 5 possíveis.

Sinopse:
Em Roma, no interior da Basílica de Santa Maria, um padre dispara uma arma, provocando um grande estrondo.
O disparo falha o seu alvo, a agente Gabriella Fierro, que anda a investigar desvios de fundos numa igreja. Ela está prestes a descobrir a verdade, mas há quem tudo fará para que a verdade permaneça escondida.
Agora, o jornalista Alexander Trecchio, destacado pelo jornal La Repubblica para investigar o mesmo caso, terá de agir rapidamente para revelar uma conspiração que ameaça o futuro da Igreja Católica e ainda salvar Gabriella, antes que seja tarde demais.

Entretanto, resgatei da coleção da minha mãe, dois livros de José Rodrigues dos Santos: "O Homem de Constantinopla" e "Um Milionário em Lisboa", sobre Calouste Gulbenkian, cuja herança permitiu criar, em Portugal, a Fundação com o seu nome. 

E juntando aos que comprei recentemente, e aos que vão engordando as minhas estantes, e, ainda, aos que descarreguei para o Kindle, diria que tenho aqui muita sarna para me coçar nas próximas semanas.  








domingo, 31 de dezembro de 2017

quinta-feira, 28 de dezembro de 2017

Balanço de Natal

Estes dias têm sido parados por aqui; não na vida real, esta que tenho, para além do computador e do blogue. Com marido e filho de férias, com Natal, jantares e afins, o tempo que sobra não é muito. Houve um soprozito de vida na véspera de Natal, mas... pecadora me confesso... foi um post programado.

Mas, vamos ao importante: o balanço das minhas prendas de Natal, que foram/são relevantes para este espaço.

O maridão ofereceu-me um Kindle. Ainda estou a experimentar e a instalar livros... mas o primeiro contacto é positivo. Já usava o tablet para ler livros, mas nos dias de sol, tornava-se complicado. Com o Kindle já percebi que a ideia é mesmo simular as páginas dos livros e o sol não irá ser um impedimento. 

O meu irmão, sabedor... aliás, conhecedor em 1.ª mão do meu interesse pelo universo de Harry Potter - afinal de contas, foi a nossa mãe que promoveu a compra dos primeiros livros ainda eu era adolescente - ofereceu-me um copo Gryffindor. YEY.


Eu, durante as compras de Natal, encontrei algumas promoçõezinhas interessantes em livros. Acabei mesmo por comprar três para me oferecer. Umas prendinhas de mim para mim. Tem havido muito "ruído" acerca de "Os Loucas da Rua Mazur" e não resisti. Os outros dois comprei no Continente, estava um com 50% de desconto, e o outro com 40%.



domingo, 24 de dezembro de 2017

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Novidade: Um Dia, de Morris Gleitzman

Do multipremiado Morris Gleitzman, chega às livrarias portuguesas, pela mão da Fábula, um livro fabuloso. 
Um Dia - o primeiro de vários livros de Felix, um órfão judeu apanhado no meio do Holocausto - vai deixar todos os leitores sem fôlego da primeira à última página. 
Considerado como um dos 100 melhores livros para jovens!

«Toda a gente merece ter alguma coisa boa na vida, pelo menos uma vez.»

Sinopse: 
A vida de Felix Salinger não é nada fácil. Ele é judeu e vive num orfanato na Polónia dos anos 40, em plena Segunda Guerra Mundial. Felix gosta de ler, escrever e contar histórias. Até que um dia, decide fugir para procurar os seus pais. A determinação, inteligência e imaginação de Felix vão ajudá-lo a lidar com situações muito difíceis, no meio de nazis e cidadãos apavorados, e a encontrar pessoas maravilhosas, como a pequena Zelda e o velho Barney.

Contada na primeira pessoa, por uma criança cheia de sonhos e muito inocente, esta emocionante história aborda a infância, a solidariedade, a amizade, a coragem e a esperança no meio do drama da guerra. Um livro que nos toca, que não se esquece. Pode ser lido por várias gerações, que o vão entender, certamente, de forma diferente.

Sobre o autor:
Morris Gleitzman nasceu em Inglaterra, em 1953, e a sua família emigrou para a Austrália, em 1969. É autor de vários bestsellers. Muitas das suas obras são sobre assuntos duros, com abordagens interessantes e originais. Morris escreveu o seu primeiro livro para crianças em 1985.

Adotou um estilo descontraído e divertido, o que atraiu desde logo muitos leitores. É agora um dos autores mais conceituados da Austrália. Recebeu inúmeros prémios como autor de séries televisivas, guiões de cinema e livros infantojuvenis. Os livros de Morris Gleitzman estão publicados em cerca de vinte países.

domingo, 17 de dezembro de 2017

sábado, 16 de dezembro de 2017

Germano Silva condecorado pelo Presidente da República

Jornalista e cronista incontornável da história do Porto agraciado com a Ordem do Mérito.

Germano Silva, jornalista e historiador, recebeu dia 7 de dezembro, a Ordem do Mérito, imposta pelo Presidente da República, numa cerimónia realizada no Salão Nobre da Câmara Municipal do Porto.

Com 86 anos, este incontornável cronista da história e das histórias da Porto, foi uma das individualidades distinguidas pelo Professor Marcelo Rebelo de Sousa.

A Ordem do Mérito destina-se a galardoar atos ou serviços meritórios praticados no exercício de quaisquer funções, públicas ou privadas, que revelem abnegação em favor da coletividade.

©Patrícia Cardoso, Porto Editora