terça-feira, 15 de maio de 2018

Novidade: A partir de HOJE nas livrarias


Antes É Que Era Bom!

Michel Serres
15x20
104 páginas 
13,00 €
Nas livrarias a 15 de Maio
Guerra e Paz Editores 

Chega a Portugal um dos maiores êxitos da edição francesa de 2017/18, com 36 semanas no top dos livros mais vendidos. A surpresa é que este é o livro de um filósofo e historiador das ciências, Michel Serres, com um perfil que é o oposto de um autor bestseller.

Serres tem já 87 anos e escolheu como tema deste seu livro comparar o presente e o passado. Com um humor quase juvenil, Michel Serres diverte-se a desmontar de forma implacável, maliciosa e sarcástica os apologistas dos grandes cultos nostálgicos.

Não, o passado não era melhor do que o presente, garante Serres em Antes é que era bom! E ironiza: «Antes, fomos guiados por Mussolini e Franco, Lénine e Estaline, Mao, Pol Pot, Ceausescu... todos eles pessoas de bem, requintados especialistas em campos de extermínio, torturas, execuções sumárias, guerras, depurações.»

Num sublime manifesto – pleno de humor e amor –, o filósofo Michel Serres insurge-se contra os Velhos Ranzinzas – anciãos e rezingões – que nos impedem de olhar para o futuro com esperança.
Afinal, era melhor antes? O autor, testemunha de outro tempo, não tem dúvidas em responder com um rotundo «não»:
«A diferença entre o mundo em que vivemos antes e o de hoje é espectacular. Setenta anos de paz, isso nunca aconteceu. A esperança média de vida de 80 anos, isso nunca aconteceu. Os camponeses representam apenas três por cento da humanidade, isso nunca aconteceu. Se exagerar um pouco, podemos dizer que é o fim do Neolítico

Não era melhor antes, mesmo se fomos perdendo o gosto por algumas coisas boas. O trabalho era mais pesado, as mulheres morriam em abortos, lavavam as roupas de cama uma vez ao ano com cinzas, os homens mais laboriosos e os homens tinham de dar o corpo ao manifesto nos campos e em fábricas.

E Serres lembra que as pessoas não se lavavam mais do que uma vez por semana, morriam de doenças hoje erradicadas e morria-se como tordos nas guerras. O mundo hoje está melhor.

Michel Serres não esquece a guerra que marcou a sua infância e juventude, as doenças, a falta de higiene, o trabalho árduo e as dores nas costas, a lentidão dos transportes e das comunicações, a condição das mulheres…

Uma brilhante análise e comparação do tempo dos nossos avós com a actualidade. É um pequenino livro. Lê-se docemente em qualquer transporte público, no metro, autocarro ou eléctrico, este livro que em França vendeu mais de 120 mil exemplares.

Antes é que era bom! é o segundo livro da colecção Livros Vermelhos, de que já foi publicado o livro Escravatura, de João Pedro Marques, e chega hoje às livrarias. 




Sem comentários:

Enviar um comentário