quinta-feira, 22 de fevereiro de 2018

Lido: Antes de Sermos Vossos, de Lisa Wingate


Saída de Emergência - http://www.saidadeemergencia.com/produto/antes-de-sermos-vossos/

Sou mãe. Tenho um filho com quase 5 anos. Este livro, que agora terminei, deixou com ânsias de agarrar o meu menino e nunca mais o largar.

Antes de Sermos Vossos é baseado em factos verídicos... o que me deixou ainda pior! Imaginem o cenário: deixam os vossos filhos irem para a escola. Ao fim do dia, eles não regressam. Na escola, dizem-vos que as crianças nunca lá chegaram. Ninguém sabe onde estão... desapareceram sem deixar rasto.

É mais ou menos isto que aconteceu entre os anos 20 e os anos 50, nos Estados Unidos... Georgia Tann foi a responsável por um dos maiores escândalos de adopções ilegais de que há memória: crianças que eram raptadas das suas famílias e vendidas a famílias endinheiradas dos EUA.
E foi este caso gravíssimo que deu origem a este Antes de Sermos Vossos, que tive a possibilidade de ler, graças à cortesia da editora Saída de Emergência.

A história acompanha duas protagonistas: May, que narra os acontecimentos em 1939, e Avery, nos dias de hoje. O livro tem o ritmo certo e os capítulos são intercalados: ora fala M
ay, uma (agora) idosa num lar de 3.ª idade, ora fala Avery, a jovem filha de um abastado senador americano. O que une estas duas mulheres?

Excerto:
"Alguém me toca na mão e no pulso, dedos que me envolvem tão inesperadamente que recuo com um safanão, depois paro para não dar azo a uma cena. O aperto é frio e ossudo e tremente, mas surpreendentemente forte. Volto-me e vejo a mulher do jardim. Endireita as costas corcovadas e fita-me com olhos cor das hidrângeas lá de casa, em Drayden Hill — um azul suave e límpido com uma ligeira névoa em volta das extremidades. Os seus lábios pregueados tremem. Antes de recuperar o espírito, uma enfermeira vem buscá-la, agarrando-a com fi rmeza. 
— May — diz ela, dirigindo-me um olhar de desculpas. — Venha. Não devemos incomodar as nossas visitas. 
Mais do que me soltar o pulso, a mulher idosa agarra-se a ele. Parece desesperada, como se precisasse de alguma coisa, mas não consigo imaginar o que seja. Perscruta-me o rosto, esticando-se para cima. 
— Fern? — sussurra ela."

Podemos tirar tantas lições... e pensar que existem (ainda hoje, talvez!), pessoas que nunca souberam quem eram os seus verdadeiros pais, porque lhes foram, literalmente, arrancados?! É chocante!

Após 1950, o rebentar do escândalo obrigou à reforma das leis da adopção nos EUA. Tann, responsável também pela morte de cerca de 19 crianças, devido a negligência, nunca foi condenada, porque morreu, nesse ano, de cancro.

Aconselho, vivamente, a leitura de Antes de Sermos Vossos (que, de resto já havia falado aqui), de Lisa Wingate. Procurem nas livrarias já hoje, se puderem, e aproveitem o fim-de-semana para ler esta obra.

Deixo também os links:
da página da Wikipédia de Georgia Tann: https://en.wikipedia.org/wiki/Georgia_Tann

e de um caso real, de Devy Bruch, publicado em 2015: http://fayettewoman.com/legacy-devy-bruch-life-stolen-baby.html


Sem comentários:

Enviar um comentário