sábado, 14 de abril de 2018

Lançamento: A Mente Aprisonada, de Czeslaw Milosz

A Mente Aprisonada, de Czeslaw Milosz
Cavalo de Ferro | 320 pp | 20,99€

Publicada originalmente em 1953, escrita por Milosz durante o seu tempo de exílio em Paris, A Mente Aprisionada é considerada uma obra fundamental e um clássico no estudo do totalitarismo. Através de pequenas narrativas biográficas de intelectuais polacos e a sua relação com o regime comunista em vigor, Milosz, Prémio Nobel de Literatura em 1980, descreve o domínio social completo que este exerceu à época ao subjugar o espírito e as ideias por meio da «transmissão orgânica» de um pensamento único.

Milosz ilumina e resume essa Visão do Mundo e a obediência ao seu Método sedutor e persuasivo num conjunto de textos inovadores e precursores, à época polémicos, que anteciparam as dissidências e denúncias posteriores ao estalinismo. O estilo narrativo único, incisivo e sardónico, erudito e eloquente, que conjuga reflexão filosófica e política com a descrição biográfica quase ficcional, fazem de A Mente Aprisionada uma obra única e incontornável da literatura ensaística, e um dos livros mais influentes e inspira
dores alguma vez escritos sobre o tema. Estava, até hoje, inédita em Portugal. 

Sobre o autor:
Czeslaw Milosz (1911-2004), romancista, ensaísta e poeta, Prémio Nobel de Literatura em 1980, é considerado uma das figuras cimeiras da cultura europeia e da literatura e poesia do séc. XX. Nascido na Lituânia, transcorreu grande parte da sua infância na Rússia czarista, onde o seu pai trabalhava como engenheiro. Depois da I Grande Guerra, a sua região natal é integrada no novo estado polaco e Milosz torna-se cidadão desse país. Recebe uma educação católica. Colabora com a resistência em Varsóvia durante a ocupação nazi, escrevendo e publicando de forma clandestina vários artigos e livros.

Terminada a guerra, Milosz integra o corpo diplomático do novo governo comunista sob orientação de Moscovo e estabelece-se como adido cultural em Paris. Em 1951, abandona o seu cargo e opta pelo exílio político. Aceita depois o convite para lecionar na Universidade da Califórnia Berkeley. Tornou-se cidadão norte-americano em 1970.  Entre as suas obras, além dos volumes de poesia que lhe valeram o prémio Nobel, destacam-se os romances, The Seizure of Power (1953) e The Issa Valley (1955), os volumes de ensaios, A Mente Aprisionada (1953), Native Realm (1958), Visions from San Francisco (1969), The Land of Ulro (1977), A Year of the Hunter (1994) e Milosz’s ABC’s (1997).

Sem comentários:

Enviar um comentário