quarta-feira, 29 de julho de 2009

A Morte Chama-te

É disto que gosto: livros que sejam entusiasmantes logo desde a capa. Sobre este livro que, mais uma vez, a minha mãe leu primeiro, ela só disse: "Neste só se descobre o assassino mesmo no fim"... e disse isto a 2 páginas e meia de terminar.

"A Morte Chama-te" é mais um livro de Karen Rose, que apresentei há cerca de um mês. Na altura li "Chegou a tua hora" e, segundo consta, já há um terceiro livro encomendado. São 'thrillers' policiais que nos deixam na boca um gostinho especial e arrepiados por não saber o que se segue.

A sinopse (disponível no site do Círculo de Leitores) diz o seguinte:
Tess é dedicada aos seus pacientes. Os anos de terapia ensinaram-na a ouvir, compreender e a guardar segredo. O que se partilha num consultório de psiquiatria é confidencial. Quando os seus pacientes se começam a suicidar a polícia logo estabelece um elo entre todas essas mortes: todos eram pacientes de Tess. Será ela a assassina? Ou a vítima? Quem quer destruir a sua carreira, a sua vida pessoal? Um intenso e apaixonante thriller romântico.

Sobre a autora:
Karen Rose é natural da Florida, EUA, onde vive actualmente com o marido e as duas filhas. Apaixonada pela leitura, seguiu pelos caminhos da ciência completando a sua formação em Engenharia Química na Universidade de Maryland. Trabalhou como engenheira e dei aulas de Química e Física até que redescobriu o prazer da leitura entre viagens de trabalho. Em 2003 editou o seu primeiro livro, "Não contes a ninguém", um sucesso editorial que a levariam a um outro rumo profissional - o da escrita. Hoje, com oito romances editados, traduzida em vários países e em cinco línguas, distinguida com o Rita Award, o Romantic Times Reviewer Choice Award e o Gayle Wilson Award, é uma das mais conhecidas autoras norte-americanas a recriar o thrilher romântico.

Sem comentários:

Enviar um comentário