domingo, 16 de janeiro de 2011

A História Interminável & Os Olhos do Dragão



Quem me conhece bem (e são poucos muito poucos) sabe que adoro ler; leio tudo ou quase tudo o que apanho, compro ou me oferecem.

No entanto existe um estilo particular de livro que me faz imensamente feliz, que faz nascer em mim o espírito da eterna criança levando me a sonhar e a perder nos imensos mundos de fantasia e de sonho que estas histórias normalmente evocam.

Estou a falar como é óbvio de contos de fadas, histórias fantásticas e afins, como os livros que acabei de ler à algum tempo atrás.
Histórias muito diferentes, ambas muito bem escritas e que me transportaram para cenários de sonho e fantasia para eras intermináveis e locais exóticos e fantasiosos.

Falo-vos de dois livros em particular de dois autores distintos. Os olhos do dragão de Stephen King, e da História Interminável de Michael Ende.

Estilos e histórias completamente diferentes conseguiram que eu me sentisse personagem da própria história, figura presente ao desenrolar da trama tal como os principais personagens de cada uma delas. Stephen King com um estilo muito próprio, mantém um ambiente algo «negro» durante toda a história que acentua o dramatismo das situações que se vão desenrolando. Uma história onde abunda a magia, príncipes, castelos e torres e muito mistério.

Michael Ende, conta-nos uma história dentro da história. Leitor e personagem, herói e vítima num mundo fantástico de quem lê e para quem lê.

O mundo real intercala com o imaginário e a dada altura fundem-se num só mundo de fantasia e personagens fantásticos que nos leva a querer ser de novo criança e a acreditar em magia, em sonhos e outro mundos.

Adorei ambos os livros, e deixei-me apaixonar ainda mais pela leitura e pelo fabuloso imaginário que ela proporciona.
Das viagens, dos locais e dos mundos que enriquecem a nossa passagem pela vida, fazendo-nos sorrir e sentir feliz quando acabamos as histórias, e cheios de vontade de pegar noutro livro e mergulhar de novo e partir em viagem...

Leiam...e sonhem!

Sem comentários:

Enviar um comentário