terça-feira, 1 de novembro de 2016

Tommy e Tuppence Beresford, de Agatha Christie

Imagem retirada do site:
http://lynstone.com/tommy-and-tuppence
Dediquei-me a ler as histórias escritas por Agatha, cujos protagonistas são o casal Tommy e Tuppence Beresford - "o único casal utilizado pela autora em mais de um livro. Um detalhe interessante é que, ao contrário do que acontece na maioria das vezes, eles envelhecem entre um volume e outro" (wikipédia).

- Caminho para a Morte
Já sexagenários, Tommy e Tuppence visitam Tia Ada, que vive num asilo. Tuppence encontra uma velhinha, a Sra. Lancaster, que fala de alguma coisa atrás da lareira, de seu filho etc. A conversa é estranha e Tuppence resolve cavar mais fundo. O casal acaba por se envolver numa trama complexa, que leva a crer que a Sra. Lancaster não é assim tão louca como parece.

- N ou M?
Um agente inglês é morto na Escócia, durante a Segunda Guerra Mundial. Suas últimas palavras foram: "M ou N. Song Susie". Esse agente tentava descobrir nazis infiltrados no comando inglês. 
Já maduros, Tommy e Tuppence passam a colaborar com o Serviço Secreto Inglês na investigação. Para isso, hospedam-se em uma pensão repleta de velhinhas simpáticas e de homens de negócios, acabando por se envolverem em uma cerrada teia de crimes e espionagem.
- O Adversário Secreto
Este seria o primeiro livro da "saga". 
Inicialmente desempregados e sedentos de viver grandes aventuras, o casal de amigos Tommy e Tuppence se envolve na busca de Jane Finn, uma jovem desaparecida após o naufrágio de um navio de passageiros durante a primeira guerra mundial. 
Essa jovem guarda um importante documento que, terminada a guerra, apresenta informações comprometedoras para Inglaterra e os países aliados. Não apenas o governo, mas também um grupo de revolucionários quer ficar com a posse desses documentos, com o intuito de utilizar as informações numa importante greve geral que estão a organizar.

foram os três livros que já completei. Neste momento, estou a ler Morte pela porta das traseiras, ficando apenas a faltar O Homem que era n.º 16. Foram apenas cinco os volumes deste casal, e que seguem tal como foi acima dito, uma linha cronológica. 
No livro que estou agora a ler, Tommy e Tuppence estão a preparar-se para a reforma, e encontram-se a braços com a remodelação de uma casa recentemente adquirida. Inclusivamente, já têm netos. E, sem saberem muito bem como, envolvem-se na investigação de uma morte, aparentemente natural, há mais de 50 anos. 

Sem comentários:

Enviar um comentário