segunda-feira, 26 de março de 2012

A Rapariga que Sonhava com Uma Lata de Gasolina e Um Fósforo, de Stieg Larsson

Não quero adiantar muito deste livro, para que o possam ler. É obrigatório que o façam. Levantem os rabinhos da cadeira, vão a uma livraria qualquer e comprem a trilogia de Stieg Larsson. Devia estar legislado...

***

Lisbeth meteu-se numa alhada como há poucas. Depois do trabalho em conjunto que fez com Mikael, Lisbeth cortou relações com ele e com o Mundo e desapareceu durante um ano. Mas está de regresso. Compra uma casa maior, "oferece" a sua à amiga Miriam Wu, não diz a ninguém que já voltou, excepto ao seu antigo tutor que havia sofrido um AVC ainda no 1.º livro, mas que Lisbeth julgava ter morrido.

Na Millenium, prepara-se um número especial sobre tráfico de mulheres e a publicação de um livro sobre o mesmo assunto, que vai mexer com as mais altas autoridades da Suécia. Mas o jornalista que ia denunciar este caso e a namorada são encontrados assassinados em sua casa. A arma do crime é encontrada e nela estão as impressões digitais de Lisbeth Salander.

A polícia começa a investigar o caso e mais um assassinato é atribuído a Lisbeth. O tutor Nils Bjurman, que substituiu Palmgren após o AVC, também é encontrado morto de forma brutal. Antes disso, este "respeitável" advogado havia contratado alguém para encontrar Lisbeth, para se vingar dos eventos do 1.º livro.

Mikael, obviamente, não se conforma com a declaração de culpabilidade de Lisbeth, nem com o assassinato do jornalista e envereda por uma investigação para encontrar os verdadeiros culpados.

É impossível não ficar apaixonado por esta trilogia. Só lamento já ter começado o 3.º e último livro e que Stieg Larsson tenha morrido tão cedo. Ia ser um caso muito sério de (ainda mais) popularidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário