sexta-feira, 11 de março de 2016

Novidades editoriais

Clube do Autor

ÍNDIAS, o novo romance de João Morgado vence Prémio Literário Alçada Baptista

«O autor continua, com probidade, a visão de Alexandre Herculano, fundador do romance histórico em Portugal, sobre a confeção rigorosa deste género literário». Miguel Real

Do mesmo autor de Vera Cruz, chega agora às livrarias nacionais um novo romance histórico centrado em Vasco da Gama. João Morgado parte das aventuras marítimas do grande navegador português para revisitar as suas viagens às Índias e partilhar com o leitor uma nova face do herói dos Descobrimentos, o seu lado negro das ambições, vinganças e matanças.

Partindo dos registos oficiais da época e dos factos históricos comprovados, João Morgado descreve com especial detalhe não apenas como era a vida nas naus e nas caravelas portuguesas como todo o quotidiano lisboeta no alvor do Renascimento.

João Morgado nasceu em 1965. É formado em Comunicação e trabalhou como jornalista. Tem vários livros publicados, alguns deles distinguidos com importantes galardões literários como o Prémio Vergílio Ferreira (2012), o Prémio Alçada Baptista (2014) ou o Prémio Literário Fundação Dr. Luís Rainha - Correntes d’ Escritas 2015.

Informação técnica:
296 páginas
16,00€

* * * * *

Caminho

Luanda Fica Longe e Outras Estórias Austrais, de José Luís Mendonça, 
com apresentação no dia 15 de março na livraria LeYa na Buchholz

Acaba de chegar às livrarias o livro Luanda Fica Longe e Outras Estórias Austrais, de José Luís Mendonça. A apresentação será no dia 15 de março (terça-feira), pelas 18h30, na Livraria LeYa na Buchholz, em Lisboa. O livro será apresentado por Ana Paula Tavares e Rodrigues Vaz.

Sinopse
De tudo poder ver, na sua isolação, o menino descobriu o pequeno segredo do comboio. E assim ele viu o que mais ninguém via, o que aos olhos do mundo não valia a pena: do vagão do comboio caíam grãos vivos de trigo. E cada grão caía casado com uma gota de nuvem. E no chão de areia quente do fogo do meio-dia, ao lado da linha do caminho-de-ferro, se alumiava uma nova linha de água e trigo vivo.
Então, o menino exaustivo, que se isentava na escola, começou a amealhar grãos de trigo húmido. Um dia demarcou no quintal da sua casa um pequeno talhão de meio metro quadrado e plantou os grãos de trigo. Aquela foi a sua primeira agrimensura. A sua alma estava cheia de engenharias agrónomas.

Sem comentários:

Enviar um comentário