sexta-feira, 2 de setembro de 2016

Agatha Christie - Poirot, essencialmente

Agatha Christie escreveu para xuxu. É assim que consigo resumir a coisa. E apesar de já ter lido muitos dos seus escritos, há sempre um que não ainda não me passou pelas mãos.

E, nestas férias, terminei mais dois livros que envolviam o detetive belga, Poirot.

Comecemos então.

Tanto a RTP Memória como a Fox Crime estiveram em sintonia aqui há uns meses. A estação pública passou da 1.ª à 7.ª temporada e o canal de cabo passou da 8.ª à 13.ª. Um fartote de Poirot, portanto. Houve, contudo, episódios que ficaram a meio. A ideia, certamente, seria fazer as segundas partes dos mesmos, mas isso não aconteceu. "Perigo na Casa do Fundo", foi um deles.

"Apanhei" o livro. Hercule Poirot e Hastings estão a passar uma temporada no Hotel Majestic, na costa da Cornualha, quando conhecem Nick Buckley, uma bela jovem, proprietária da pitoresca "Casa do Penhasco".
Poirot fica muito impressionado com a jovem e decide ajudá-la, ao perceber algo peculiar a seu respeito que nem mesmo ela sabe: alguém está a tentar matá-la.

Depois disto, lembrei-me de procurar o primeiro livro onde surgiu esta figura: "O Misterioso Caso de Styles".
A meio da noite, os hóspedes da mansão Styles acordam assustados. A proprietária da casa, Emily Inglethorp, está, aparentemente, a sofrer um ataque cardíaco. Depois de algumas convulsões, acaba por falecer, não sem antes dizer o nome do marido.
As portas do quarto estavam trancadas por dentro e tudo indicava tratar-se de morte natural. Mas o médico da família levanta uma suspeita: assassinato por envenenamento. Todos os hóspedes da velha mansão, inclusivamente o marido e os enteados, John e Lawrence, tinham motivos para matar a Sra. Inglethorp, e nenhum deles possui um álibi convincente.
Para solucionar o crime, entram, em ação, o detetive Hercule Poirot e o Capitão Arthur Hastings.

Algumas curiosidades: 
- neste último livro, estão dois finais. Um deles é "alternativo", como é fácil perceber. A explicação para a morte da senhora é a mesma. A forma de a apresentar é que é diferente. Numa, Poirot apresenta a solução ao Juiz durante o julgamento de um dos presumíveis culpados. No outro final, a apresentação é feita numa sala na mansão Styles, com todos os intervenientes, como é recorrente nos livros de Agatha Christie. 

- O romance é narrado em primeira pessoa, pelo capitão Hastings.

- A história decorre numa enorme casa de campo, com alguns suspeitos, que escondem informações sobre suas próprias vidas. O livro inclui mapas da casa, da cena do assassinato e uma parte de um fragmento de um testamento.