terça-feira, 23 de junho de 2015

Os Reinos do Caos, de George R.R. Martin

Terminei agorinha mesmo o último livro (em português) da história que deu origem à série A Guerra dos Tronos.

Para quem acompanha a série, como eu, estava a tornar-se frustrante estar a ver coisas no ecrã, ter a certeza que nos livros seria diferente, mas não saber quão diferente.

Obviamente, que nesta altura do "campeonato" já não irei spoilar nada de importante, mas não quero deixar de tecer alguns comentários.

Sempre tive a certeza que Jon Show seria importante para a trama, e cheira-me que esta morte dele (no livro também morre) ainda vai fazer correr muito tinta, caso contrário julgo que o mistério em torno de quem será a mãe dele já teria sido desfeito.

No livro, Stannis também supostamente morre. Se na série não vemos Brienne a dar o golpe, aqui também só temos uma carta de Ramsay Bolton a Jon a dar conta da notícia.

Exceptuando um ou outro pormenor, gostava que o autor despachante o arco de Bran... já não há paciência para tanta conversa pseudô-regulatória desta personagem. É o pequeno Rickon Stark... onde é que ele anda? No livro, Sor Davos é encarregue dessa busca... e Sansa? No livro, continua em casa do Mindinho, a "salvo" de potenciais inimigos da família.

Aqui fica o apelo: Georgito, mexe esses dedinhos e manda cá para fora o próximo calhamaço.

segunda-feira, 8 de junho de 2015

Fraturado, de Karin Slaughter

Recentemente, fiquei sem o meu novo amiguinho - o tablet - e com ele esfumaram-se as horas e horas de diversão. Os livros, que lá tinha, estão seguros, no portátil... até ao dia em que este também se fine. Aparelhos electrónicos e água... aparentemente... são uma dupla dinâmica que, em ocasião alguma, se devem juntar.

Enfim... para já, estou a juntar uns dinheirinhos para comprar outro. Jeitosinho e tal, para puder continuar a esticar-me com o número de livros dentro da mala (uma das enormes vantagens dos livros em formato digital, se querem a minha opinião...).

Entretanto, e enquanto fazia o luto, li o livro "Fraturado" da autora Karin Slaughter. Nunca tinha ouvido falar dela, mas gostei bastante. O livro, em questão, foi-me emprestado e insere-se dentro daquela categoria que mais adoro: o policial.

Sinopse: 
Abigail Campano chega a casa e entra num cenário de pesadelo. Uma janela partida, uma pegada de sangue na escada e, a visão mais devastadora de todas, a sua filha adolescente morta no chão. Sobre ela está um homem com uma faca ensanguentada na mão. A luta que se segue vai mudar a vida de Abigail para sempre.

Quando a polícia local comete um erro que não só ameaça a investigação mas também coloca em perigo a vida de uma jovem, o caso é entregue ao agente especial Will Trent do Georgia Bureau of Investigation. Will terá como parceira a detetive Faith Mitchell, do Departamento de Polícia de Atlanta, que logo no primeiro encontro lhe mostra que não é a sua maior fã.

Sob o calor implacável do verão de Atlanta, Will e Faith percebem que só trabalhando juntos conseguirão travar o homicida brutal que tem como alvo uma das comunidades mais ricas e privilegiadas da cidade. Antes que seja tarde demais.

Sobre o livro: 
"Fraturado" - e o seu antecedente "Tríptico", que não li - são os primeiros livros da série Will Trent, composta por sete livros. A acção desta série decorre em Atlanta e traz-nos o agente especial Will Trent as colegas Faith Mitchell e Angie Polaski.

Sobre a autora:
Karin Slaughter cresceu numa pequena cidade do Sul da Geórgia e vive actualmente em Atlanta. Na grande tradição dos thrillers literários, o talento de Karin Slaughter foi comparado ao de Thomas Harris ("O Silêncio dos Inocentes") e Patrícia Cornwell. Em Portugal, estão também editados os livros "Morte Cega" e "Um Muro de Silêncio", livros da série Grant County.